O sábado foi de festa para o Palmeiras. A goleada por 4 a 1 sobre o Ceará, no estádio Morenão, em Campo Grande, e a festa pelo recebimento do troféu da Série B do Campeonato Brasileiro pareceram encerrar oficialmente o ano de calvário da equipe na segunda divisão do futebol, ainda que o título já tivesse sido conquistado no fim de semana passado e que haja uma rodada da competição pela frente.

O técnico Gilson Kleina fez uma avaliação da campanha palmeirense, lembrou o dia da queda para a Série B com o empate contra o Flamengo, em novembro do ano passado, no Rio, e exaltou a reconstrução do clube. O comandante fez questão de elogiar seus jogadores e avisou: "Está voltando o campeão".

"A gente reconstruiu um trabalho que fez a diferença. Saímos cabisbaixos de Volta Redonda (no Rio de Janeiro). Nunca vi tanta polícia em minha frente, o torcedor estava chateado e triste. O vestiário mais triste que eu vi em minha vida foi aquela vez. E, hoje (sábado), eu vi o vestiário mais alegre. Está voltando o campeão para a elite do futebol brasileiro e é mérito de todos. Esses 15 meses, desde a queda até o presente momento, foi só evolução", apontou.

Líder disparado da Série B, com 79 pontos, dez à frente da vice-líder Chapecoense, o Palmeiras pôde fazer a festa no último sábado com os torcedores sul-mato-grossenses, que estão pouco acostumados a acompanhar a equipe no estádio. Para Kleina, a presença dos pouco mais de sete mil palmeirenses no Morenão mostrou a grandeza da torcida.

"Mais uma vez, a torcida compareceu, apoiou a equipe, deu carinho e pudemos retribuir dentro de campo", disse. "Você vê a grandeza da torcida do Palmeiras, que acompanha a delegação em qualquer lugar. Há muito tempo, o Palmeiras não ia a algumas regiões, e o torcedor fica contente com isso", completou.