Leonardo Costa/Tribuna de Minas
Em jogo morno, Tupi e América ficam no 1 a 1 em Juiz de Fora
Jogadores lutaram muito em campo, mas jogo deixou a desejar tecnicamente

O Tupi mostrou força, capacidade de reação e buscou o empate com o América em Juiz de Fora. O jogo, na noite deste domingo (3), teve os donos da casa muito melhores em campo. O Coelho chegou a abrir o placar e sentir o gostinho da vitória, em lance de bola parada. Contudo, o time da Zona da Mata teve seu melhor rendimento em campo recompensado aos 43 minutos do segundo tempo, em gol de pênalti do lateral Alonso.

O jogo teve o Tupi muito mais presente no ataque. A tentativa de Vinícius de deixar o América mais leve com a entrada de Kaká não funcionou e Fábio Júnior continuou muito isolado na frente, sem receber a bola. Já o Galo Carijó foi agudo durante todo o jogo e mereceu sair de campo com a vitória. O Coelho, por sua vez, contou com Rodriguinho que, apesar da atuação apagada, cobrou a falta para o gol de Lula. Bem mais organizado em campo, o Tupi precisou esperar até os 43 minutos da etapa final para marcar e dar alegria ao seu torcedor. Neneca fez pênalti infantil em Wesley, que Alonso converteu com categoria, dando números finais ao jogo.

O resultado deixa os dois times fora do G-4. O Tupi fica na quinta posição, com os mesmos seis pontos da Tombense, mas uma vitória a menos. Já o Coelho, com cinco, ocupa apenas o sétimo lugar. No próximo jogo o América recebe o embalado Nacional no Independência, às 17 horas de sábado (9). Já o Tupi fica em Juiz de fora para enfrentar o Guarani, às 16 horas do mesmo dia.

O jogo

O jogo começou com o América em cima do Tupi, com Fábio Júnior levando perigo. Doriva cruzou da esquerda e o centroavante pegou de bate-pronto. A bola saiu fraca e facilitou a vida do goleiro. O time de Juiz de Fora não se intimidou e respondeu seguindo com força para o ataque. Sem quatro atletas, impedidos de atuar por força contratual, o Galo Carijó mostrou que não estava disposto a entregar o resultado em seus domínios.

Contudo, foi o América que voltou a assustar novamente com Fábio Júnior. Após bate-rebate na área, o atacante dominou e bateu no cantinho. Tadeu se esticou todo para fazer grande defesa. Pouco tempo depois, foi a vez dos donos da casa mostrarem a espora. Vinícius dominou na entrada da área e bateu firme. A bola tirou tinta da trave do vendido Neneca, que nada poderia fazer se o destino tivesse sido a meta.

O primeiro tempo seguiu sem maiores emoções com os times abusando das bolas mal alçadas à área.  O Tupi mostrou que é uma das grandes forças do interior e dominou praticamente toda a etapa inicial. Contudo, com muitos erros de passe, o jogo foi muito truncado e os times pouco testaram seus goleiros. Mesmo com o retorno de Rodriguinho, o Coelho não conseguiu armar jogadas de fato e chegar à meta de Tadeu. Além disso, o péssimo gramado não facilitou a vida dos times, que foram para o vestiário sem ter o que comemorar

Segundo tempo

As duas equipes voltaram sem alterações e foi o Tupi quem assustou primeiro. Após cruzamento da direita, a bola sobrou livre para Wesley que bateu prensado, meio no susto. Neneca apareceu bem para segurar a bola e sair jogando.  Contudo, o jogo seguiu com muitos erros de passe e muitas faltas. Aos 8 minutos, Rafael quase fez um golaço. O jogador recebeu a bola na direita e, quando todos esperavam o cruzamento, ele soltou a bomba. A bola passou muito perto da meta de Neneca, arrepiando a torcida do Coelho.

O América respondeu três minutos depois. A bola chegou bem para Gedeílson na área. O lateral recebeu com carinho de Claudinei, mas na hora de rolar para Fábio Júnior concluir em gol, mandou atrás do centroavante, desperdiçando chance clara de gol. O lance não animou o Coelho e o jogo seguiu muito truncado, com muito perde-e-ganha no meio-campo e erros de passe. O Galo Carijó voltou a levar perigo aos 22 minutos, novamente com Vinícius. O meia arriscou de fora da área e obrigou Neneca a trabalhar. O técnico do Coelho tentou mudar a equipe com as entradas de Juninho, no lugar de Leandro Ferreira, e Thiago Alves na vaga de Kaká, que pouco rendeu.

Antes que as mudanças pudessem fazer efeito, o América foi premiado pela eficiência. Apesar do domínio dos donos da casa, o Coelho abriu o placar em um lance de bola parada. Rodriguinho assumiu a cobrança de falta na intermediária e levantou na medida para Lula. O zagueiro veio de trás e, em condição legal, usou a cabeça para vencer o goleiro Tadeu, 1 a 0. Um balde de água fria no Tupi, que imediatamente foi para frente com a saída de um volante para a entrada de Cassiano no ataque. E o jogador teve boa chance em seu primeiro lance. Ele recebeu a bola em profundidade e forçou Neneca a trabalhar em chute baixo.

O gol não desanimou o time de Juiz de Fora que seguiu melhor, pressionando muito. E a superioridade rendeu frutos aos 43 minutos. Wesley recebeu a bola na área e foi derrubado pelo afobado Neneca, pênalti. Alonso foi para a cobrança e bateu firme, conseguindo o empate e fazendo justiça à boa atuação da equipe. A equipe mandante seguiu pressionando até o fim, mas o jogo terminou mesmo empatado.
 

Ficha técnica: Tupi 1 x 1 América-MG.

FICHA TÉCNICA
TUPI 1 X 1 AMÉRICA

Local: Estádio Mário Helênio, em Juiz de Fora (MG)
Data: 03 de março de 2013 (domingo)
Horário: 18h30
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (CBF/FMF)
Assistentes: Celso Luiz da Silva (CBF/FMF) e Marcus Vinícius Gomes (CBF/FMF)

Cartões amarelos: (Tupi) Alonso, Fabrício Soares, Genalvo, Wesley (América) Kaká, Doriva, Everton Luiz, Wanderson, Neneca
Gols: Tupi: Alonso, aos 44 minutos do segundo tempo América: Lula, aos 28 minutos do segundo tempo

TUPI: Tadeu; Thiago Ryan (Elvis), Adriano, Fabrício Soares e Alonso; Genalvo, Maicon Douglas (Cassiano), Paulinho e Vinicius (Assuério); Rafael Assis e Wesley
Técnico: Felipe Surian

AMÉRICA: Neneca; Gedeílson, Everton Luiz, Lula e Wanderson; Claudinei, Leandro Ferreira (Juninho), Doriva e Rodriguinho (Patrick); Fábio Júnior e Kaká (Tiago Alves)
Técnico: Vinícius Eutrópio