Washington Alves/VIPCOMM/Arquivo
Tinga foi alvo de racismo da torcida do Real Garcilaso
Tinga foi alvo de racismo da torcida do Real Garcilaso

Um fato vergonhoso estragou a partida entre Real Garcilaso e Cruzeiro, realizada nesta quarta-feira (12), em Huancayo, no Peru. Durante o embate, o volante Tinga foi alvo de insultos racistas proferidos pela torcida peruana, que fazia barulhos e imitava macacos a cada vez que o atleta pegava na bola.
 
Na saída do campo, o volante lamentou profundamente o ocorrido. "No começo, achei que era uma simples vaia, por ser pouco conhecido aqui, já que joguei várias Libertadores. Depois vi que era racismo. Fico bem chateado por acontecer uma coisa dessa. Estava focado em tentar virar o jogo, queria dar uma resposta dentro de campo. Joguei tanto tempo na Europa, onde se fala muito disso, joguei quatro anos na Alemanha e nunca vi nada disso. De repente, em um país aqui do lado, com tanta mistura quanto o nosso, acontece algo assim", afirmou. 
 
O experiente atleta, que foi vitorioso por onde passou, disse também que deixaria de lado seus títulos pela igualdade. "Se pudesse não ganhar nada e ganhar este título contra o preconceito, eu trocaria todos os meus títulos por uma igualdade em todas as áreas, em todas as classes”, completou. 
 
O zagueiro Dedé se indignou com o ocorrido. "O pior é ver gestos racistas. O Tinga pegava na bola e a torcida fazia som de macaco. Isso não existe", vociferou. O técnico Marcelo Oliveira e o diretor de futebol Alexandre Mattos também se mostraram revoltados com a atitude da torcida adversária.