VANDERLEI ALMEIDA/AFP
O templo do futebol voltou
O templo do futebol voltou

Depois de ficar dois anos e oito meses fechado para reforma, o Maracanã foi reaberto na noite deste sábado (27), quando recebeu seu primeiro evento-teste antes da Copa das Confederações: o amistoso entre Amigos de Ronaldo e Amigos de Bebeto, que reuniu diversos astros da história do futebol brasileiro e terminou com 13 gols marcados. Somente alguns setores do estádio, que continua em obra, foram liberados para as cerca de 27 mil pessoas (30% da capacidade total, de 78.838 lugares), entre operários que trabalharam na construção e seus familiares, autoridades e convidados.

A presidente da República, Dilma Rousseff (PT), assistiu à partida, mas não foi ao gramado para dar o pontapé inicial ou fazer um discurso. Ela ficou no camarote ao lado do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), e do prefeito da cidade, Eduardo Paes (PMDB).

A festa teve show de diversos cantores, como Neguinho da Beija-Flor, Naldo, Preta Gil e Martinho da Vila, e uma sonora vaia a Fernanda Abreu, que cantou o Hino Nacional vestindo uma camisa do Vasco - ao lado dela, também cantaram Ivan Lins (torcedor do Fluminense), Sandra de Sá (Flamengo) e Eduardo Dusek (Botafogo).

Bem antes do início do jogo, marcado para as 19 horas (começou com atraso de 15 minutos), houve engarrafamento no entorno do estádio, apesar do esquema de trânsito montado pela prefeitura, e certa confusão entre as equipes de apoio. Alguns motoristas das vans contratadas pelo governo do Rio para fazer o transporte da imprensa até o Maracanã (já que não era possível ir de carro), por exemplo, não sabiam quais acessos deveriam usar.

O armador Rangel Oliveira, de 36 anos, que ganhou ingressos para ele e a esposa, foi ao estádio de metrô e contou não ter tido dificuldade para chegar. O mesmo aconteceu com o eletricista Antônio Martins, de 49 anos, que lamentou não ter ganhado entrada para a filha. "Outros operários ganharam para os filhos também. Eu, só para mim e minha esposa", contou.

No setor da arquibancada reservado aos operários, alguma sujeira no chão - pequenas concentrações de terra - próximo às lanchonetes. Assim como na véspera do evento, cambistas vendiam ingressos na porta do estádio. Houve confronto entre a polícia e manifestantes que protestavam contra o governador do Rio e o empresário Eike Batista, dono de uma das empresas que concorrem pela concessão do estádio nos próximos 35 anos.

Dois manifestantes entraram no estádio, chegaram à área da arquibancada reservada à imprensa e exibiram uma grande faixa: "Não à privatização e às demolições", referindo-se ao Estádio de Atletismo Célio de Barros e o Parque Aquático Júlio Delamare, que ficam no entorno do Maracanã. O edital de concessão do estádio à iniciativa privada prevê as demolições.

Apesar da reabertura, a obra no estádio continua. A inauguração oficial, com capacidade total de público, será só no dia 2 de junho, no amistoso entre Brasil e Inglaterra. Antes, será realizado pelo menos mais um evento-teste, em 15 de maio, ainda sem participantes definidos.

O JOGO - O ex-atacante Washington, que passou por Fluminense e São Paulo, marcou o primeiro gol do novo Maracanã, de cabeça, após cruzamento de Bebeto. Minutos depois, Giovanni, ex-Santos e Barcelona, empatou para os Amigos de Ronaldo. Depois, foi a vez do pentacampeão Edilson virar o placar.

Giovanni, em lindo chute da entrada da área, ampliou a vantagem. Em outra bela jogada, Washington recebeu passe de Ibson (meia que defende atualmente o Flamengo), encobriu o goleiro e diminuiu: 3 a 2. Antes do fim do primeiro tempo, Ronaldo marcou o quarto e Roger (ex-Flamengo e Fluminense), que jogou no time dos Amigos de Bebeto, fez o seu.

Na segunda etapa, Edilson, de cabeça, novamente colocou a equipe de Ronaldo com dois gols de vantagem. Mattheus, filho de Bebeto, marcou para o time do pai, mas Edilson, pouco depois, fez o 6 a 4.

Ronaldo aumentou a conta com um golaço: depois de um elástico dentro da área, bateu no canto, sem chance para o goleiro. Pedrinho, ex-Vasco e Palmeiras, ampliou no contra-ataque. E Bebeto, na sequência, descontou de pênalti para sua equipe.

Assim, o jogo festivo terminou com a vitória do time de Ronaldo por 8 a 5. Foi um show de gols para o público que voltou a frequentar o Maracanã, palco mais emblemático do futebol brasileiro.