Rafael Ribeiro/CBF
Nos EUA, Brasil enfrenta Portugal em jogo amistoso
O meia Bernard é um dos destaque do time de Felipão

Felipão estará com um "aperto no coração" no amistoso desta terça-feira (10) entre Brasil e Portugal, às 22 horas (de Brasília), no Gillette Stadium, em Boston, nos Estados Unidos. Ele viveu conquistas importantes pessoais e profissionais dos dois lados. "Eu tenho cidadania italiana, mas considero Portugal minha segunda pátria. Vou sentir o mesmo aperto no coração que senti quando dirigia Portugal e enfrentei o Brasil. Vivi seis anos lá intensamente", disse o treinador na entrevista coletiva, nesta segunda, depois do último treino antes do amistoso.

Será a primeira vez que Felipão vai enfrentar a seleção que dirigiu no período entre 2003 e 2008. Nesta passagem, foi vice-campeão da Eurocopa de 2004, colocação inédita para os portugueses. Nos confrontos contra o Brasil, Felipão leva vantagem com um empate e duas vitórias.

Além das conquistas profissionais, Felipão também cita os laços fraternais e familiares. Seu filho Leonardo é casado com a portuguesa Mafalda e ele mantém um relacionamento estreito com os jogadores e também com a Federação Portuguesa de Futebol. "Conheço 90% do grupo. Quase todos já trabalharam comigo. Será muito bom reencontrá-los, conversar antes e depois do jogo", disse o treinador.

Todo esse clima de amizade, no entanto, vai terminar quando o árbitro apitar o início do jogo. Sentimentos à parte, Felipão considera a partida importante para a preparação da seleção. Segundo ele, faltam apenas cinco partidas para o final do ano, limite que ele próprio definiu para definir os jogadores titulares. O planejamento foi necessário uma vez que a seleção não está disputando as Eliminatórias e, portanto, não tem jogos oficiais. "Temos de jogar todos os amistosos como se valessem três pontos. Nós não temos Eliminatórias. Cada partida é importante para a Copa do Mundo", afirmou.

Nesse momento de preparação, Felipão lamentou a ausência de Cristiano Ronaldo. Depois de marcar três gols na vitória sobre a Irlanda do Norte por 4 a 2, nas Eliminatórias Europeias, na última sexta, o atacante sofreu uma tendinite e foi poupado do jogo. "Seria importante que ele jogasse para testar nosso setor defensivo. Ele é um jogador extraordinário e, com certeza, traria dificuldades para uma eventual vitória".

Para se ter ideia da falta que Cristiano Ronaldo fará, Felipão fez uma comparação ousada. "Portugal vai jogar com um jogador que vem sendo o melhor. É a mesma coisa se tirássemos o Neymar da seleção".