Vigilância Sanitária/Divulgação
produto estragado em mantena
Foram encontrados desde equipamentos enferrujados até produtos vencidos

Os supermercados Almeida, Valente (matriz e filial) e União e o hipermercado Valente, todos em Mantena, região do Vale do Rio Doce, estão proibidos de vender alimentos, água mineral, bebidas alcoólicas, além de comercializar produtos em seus açougues e padarias. 
 
A medida tomada pelo Ministério Público Estadual (MPE) foi imposta após a Vigilância Sanitária local constatar diversas irregularidades nos estabelecimentos, principalmente devido às péssimas condições dos depósitos de armazenamento.
 
Durantes inspeções realizadas em janeiro, foram encontrados desde equipamentos enferrujados e em mal estado de conservação, até produtos atingidos por enchentes, sujos de lama, insetos mortos e fezes de roedores nos alimentos. Alguns produtos foram encaminhados para análise pela Fundação Ezequiel Dias, que confirmou a impropriedade do material para o consumo.
 
Dois promotores de Justiça de Defesa do Consumidor de Belo Horizonte estão acompanhando o processo administrativo instaurado contra os estabelecimentos e auxiliando a Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de Mantena nas investigações.
 
Alvará
 
Com a decisão de suspender o fornecimento de produtos, os estabelecimentos, se quiserem voltar a funcionar, terão que solucionar as irregularidades e obter alvará da Vigilância Sanitária. Além disso, segundo a decisão do órgão de defesa do consumidor, os supermercados precisarão comprovar que os produtos alimentícios, incluindo as bebidas alcoólicas e águas minerais, expostos ao consumo nas gôndolas ou acondicionados nas câmaras frias e no depósito, não tenham sido atingidos ou danificados por inundação.
 
Os supermercados União e Almeida e o hipermercado Valente pagarão multa diária de R$ 70 mil caso descumpram a determinação. Já o supermercado Valente, terá que arcar com multa diária de R$ 50 mil, em caso de descumprimento.
 
Segundo a Promotoria de Justiça local, não há riscos de desabastecimento de produtos no município, já que os outros supermercados da cidade continuam prestando seus serviços e fornecendo suas mercadorias normalmente.
 
*Com informações do MPE