Fred Wanderley/Divulgação
Penitenciária Público Privado (CPPP), em Ribeirão das Neves, Grande BH
PPP de Neves foi inaugurado em janeiro deste ano

O primeiro bloqueador de celular do sistema prisional de Minas Gerais foi intatalado na Penitenciária Público Privado (CPPP), em Ribeirão das Neves, na Grande BH. Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), o aparelho estava sendo testado há uma semana. 

Com a tecnologia, os detentos não conseguem sinal para realizar chamadas e enviar SMS. Vale lembrar que o uso de telefones em presídios e penitenciárias é proibido pela Justiça. Por enquanto, o bloqueador está em funcionamento na Unidade I do complexo penitenciário e está começando a ser instalado na Unidade II. Futuramente, todas as cinco unidades da PPP terão o equipamento.
 
A expectativa da Seds é de que até janeiro de 2014 a Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem, na Grande BH, também esteja com o sinal de celular bloqueado. Lá, o Governo irá investir R$ 1,6 milhão para instalação do bloqueador.
 
Em seguida, conforme o subsecretário de Administração Prisional, Murilo Andrade de Oliveira, o equipamento será instalado na Penitenciária Francisco Sá, na região Norte de Minas Gerais.
 
Segurança
 
Para o diretor de Operações do consórcio Gestores Prisionais Associados (GPA), parceiro privado do Estado na unidade de Neves, Hamilton Mitre, a instalação do bloqueador eliminou uma das preocupações referentes à segurança da unidade, abolindo a possibilidade de haver assédio dos monitores e agentes penitenciários, por parte dos presos, para entrada de aparelhos celulares na unidade.
 
A tecnologia utilizada na PPP é a mesma que será usada na Nelson Hungria, com equipamentos direcionais, que garantem sinal normal na área externa, sem comprometer a eventual vizinhança.