Facebook/Reprodução
estudante agredida no entorno da Fumec
Estudante levou soco dos bandidos e foi jogada no chão durante o crime

Os constantes assaltos no entorno do campus da Universidade Fumec, no bairro Cruzeiro, região Centro-Sul de Belo Horizonte, mobilizam milhares de estudantes nas redes sociais. Um evento criado no Facebook, intitulado "Insegurança e Medo rondam a Fumec!", já conta, até a noite desta quarta-feira (21), com a participação confirmada de mais de 1.100.
 
Na descrição da página, os organizadores relatam o caso de uma estudante que foi roubada e agredida, na última segunda-feira (19), quando se aproximava de seu carro. Mas conforme os universitários, os casos de violência são cada vez mais frequentes nas proximidades da instituição. 
 
Os estudantes reclamam da falta de entrosamento entre a Polícia Militar e a instituição, o que facilitaria a ação dos criminosos. Além disso, os alunos lembram que algumas ruas do bairro são mal iluminadas, contribuindo para que os veículos estacionados no entorno da universidade durante o período da aula sejam arrombados ou danificados.
 
Para tentar mudar esse quadro, que tem assustado os jovens, foi criada uma petição online que já possui mais de mil assinaturas. O documento será encaminhado para a direção da Fumec e para a PM.
 
Solução
 
Em nota, a Fumec informou que lamenta o caso de agressão, mas que a questão de segurança pública em Belo Horizonte deve ser tratada com os órgãos competentes. Segundo a universidade, a segurança no campus é realizada por guardas e o controle de acesso à instituição é feito por catracas.
 
Mas com o objetivo de contribuir para o reforço da segurança no entorno da Fumec, a Universidade convidou o Comando da Polícia Militar, as associações de moradores dos bairros Cruzeiro e Anchieta, comerciantes da região, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MG), a Associação dos Magistrados Mineiros (AMAGIS), além de representantes dos DCE's e DA's para uma reunião. O encontro foi agendado para a próxima sexta-feira (23), às 11 horas, no prédio da reitoria.
 
A PM foi procurada pela reportagem do Hoje em Dia para comentar sobre o assunto e informar a estatística de crimes na região, mas nenhum responsável apto a comentar sobre o caso foi encontrado.
 
Agressão
 
Pelo Facebook, uma amiga da jovem que foi vítima de assalto e agressão relatou que ela deixava a Fumec, por volta das 20 horas, quando teve seu celular roubado. A estudante teria sido agredida com socos e, depois, jogada no chão. Na terça-feira (20), outro caso semelhante teria sido registrado. Dessa vez, quando uma universitária seguia para a instituição. Os dois casos aconteceram na esquina da ruas Oliveira com Cobre.
 
Na rede social, outro estudante da Fumec relatou que foi assaltado, também na terça, no entrocamento das ruas Trifana com Pirapetinga. De acordo com o rapaz, ele foi abordado por dois homens que estavam em uma moto e armados.