Samuel Costa/Arquivo Hoje em Dia
Bruno Fernandes - Samuel Costa - Hoje em Dia
Além de perder o direito de trabalhar, o goleiro Bruno foi transferido de pavilhão esta semana

O goleiro Bruno Fernandes de Souza, condenado pela morte da ex-amante Eliza Samudio, perdeu provisoriamente o direito de trabalhar na lavanderia da Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A decisão foi motivada por uma suposta briga do atleta com um companheiro de cela. Bruno está preso desde junho de 2010 na unidade prisional. 

Em nota, a Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) confirmou a suspensão do benefício, destacando que ele foi afastado do trabalho na penitenciária por ato de indisciplina. A cada três dias de trabalho, Bruno reduziria um dia da pena de 22 anos e três meses de prisão a qual foi condenado.

Leia também:
 
Bruno deixou de trabalhar no dia 1° de abril e a punição é por tempo indeterminado. Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), nesta semana o goleiro também foi transferido de pavilhão. A mudança, segundo o órgão, seria por uma questão de segurança. 
 
No dia 8 de março, o goleiro Bruno Fernandes foi condenado por ser o mandante do assassinato de sua ex-amante, além do sequestro e cárcere privado de seu filho, Bruno Samudio. Nesta semana, a condenação foi corrigida pela Justiça, aumentando o período de reclusão em 9 meses e 15 dias. Sua ex-mulher Dayanne Rodrigues, de 25 anos, denunciada por sequestro e cárcere privado de Bruninho, no entanto, foi absolvida das acusações por quatros votos a três. 
 
Nova ossada
 
Nessa sexta-feira, a Polícia Civil (PC) anunciou que uma ossada encontrada no final do mês de janeiro em Nova Serrana, no Centro-Oeste de Minas Gerais, pode ser da ex-modelo Eliza Samudio. O delegado regional de Bom Despacho, Ivan José Lopes, não descarta a possibilidade de os restos mortais encontrados a aproximadamente seis metros de profundidade dentro de uma vala e em um local de difícil acesso, sejam da ex-amante do goleiro. 
 
“Vamos investigar a origem dessa ossada. Sabemos que é humana, do sexo feminino, tem aproximadamente 1,70 metros e 35 anos, mas não afirmo que é dela. Temos que comparar com os das pessoas desaparecidas”, explica. Segundo ele, o material genético já foi recolhido e enviado ao laboratório para comparar com o da ex-modelo. A expectativa é que o resultado do exame de DNA fique pronto na próxima semana. 
 
Essa hipótese só começou a ganhar a atenção, explica o titular, depois que o delegado Rodrigo Noronha, que fica em Nova Serrana, recebeu, na última terça-feira, um laudo da perícia com informações importantes sobre essa ossada. Vários indícios levaram o delegado a acreditar que os restos mortais pudessem ser da ex-modelo. 
 
Um desses incídios é um afundamento no lado esquerdo do crânio da ossada encontrada. “A ex-modelo foi agredida com uma coronhada do lado esquerdo, quando ainda estava no carro”, lembra, destacando ainda que havia três perfurações de bala na ossada, sendo duas na cabeça e uma na coluna cervical. “Quem atirou sabia exatamente o que estava fazendo”, lembrando que Marcos Aparecido dos Santos, o “Bola”, acusado de executar Eliza, é um ex-policial civil. 
 
Com a notícia, o advogado José Arteiro Cavalcante Lima, que representa a mãe de Eliza Samudio, disse que conversou com o delegado e também acredita que os ossos sejam de Eliza Samudio. “Sabemos que há um crime e o corpo ainda está desaparecido. Vou acompanhar de perto esse caso, garante. No entanto, o defensor afirma que independentemente da ossada ser ou não da ex-modelo, o “Bola”, também será condenado.