Veículos retidos, apreendidos e removidos durante blitze e operações policiais serão leiloados em Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, no próximo mês de julho. A exceção são carros e motos com pendências judiciais, administrativas ou que estiverem à disposição das autoridades policiais e fazem parte de processos investigativos.
 
Ao todo, serão leiloados aproximadamente 530 veículos pelo Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN. As vendas serão realizadas em dois leilões.
 
Alguns bens já estão no pátio há mais de cinco anos e não foram reavidos pelos proprietários. Outros devido à quantidade de multas e estado em que foram apreendidos foram deixados pelos proprietários. Até sucatas de veículos serão leiloadas.
 
A delegada de trânsito Gislane Veloso Freitas, explica que o edital do leilão será divulgado ainda esta semana. Mas , deixou claro que o objetivo do Estado é realizar o leilão já no próximo mês. “Estamos trabalhando com a data dos dias 08 e 09 de julho. Montes Claros tem dois pátios credenciados junto ao DETRAN para recolhimento dos veículos. O edital ainda não foi divulgado, mas as notificações desde o mês passado. A nossa intenção é realizar leilões períodos justamente para não sobrecarregar e lotar os pátios da cidade. Atualmente eles estão dentro da sua capacidade e ainda com vagas para receber novas apreensões. O leilão é justamente para manter esse número dentro dos limites”, explica à delegada.
 
O Conselho Nacional de Trânsito (Contran), no seu Artigo 12, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, e conforme o Decreto Federal nº 4.711, de 29 de maio de 2003, estipula o prazo de 90 dias para carros e motos apreendidos irem a leilão. No caso de apreensão, para reaver o carro, o proprietário precisa pagar todas as pendências existentes, como multas, IPVA ou seguro atrasado, taxas de licenciamento, além da diária do pátio.
 
O Leilão irá ocorrer possivelmente das 9h às 14h, mas o local da sua realização ainda não foi definido. Qualquer pessoa pode participar e dar o lance no leilão. Não será cobrada a taxa de 5% do leiloeiro. O comprador pagará apenas o valor da arrematação.
 
Policiais militares, civis e servidores da receita estadual não podem participar do leilão. 
 
O último leilão de veículos que ocorreu na cidade foi em 2010, segundo informou a delegada de trânsito.