Leonardo Morais/Arquivo Hoje em Dia
Dengue - avanço nos casos em Minas - Leonardo Morais/Arquivo Hoje em Dia
Dengue - avanço de casos em Minas

O número de casos de dengue em Minas Gerais é superior a toda a população de Porteirinha, no Norte de Minas. O balanço divulgado nesta sexta-feira (29) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) mostra que a doença já causou 31 mortes e atingiu 37.733 pessoas apenas nos três primeiros meses de 2013. Foram notificados 148.351 pessoas com a doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Porteirinha possui pouco mais de cerca de 37,5 mil habitantes, conforme o senso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2012.

O balanço, no entanto, desconsidera os dois óbitos confirmados, na última semana, pela Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte. À tarde, a Prefeitura de Santa Luzia (RMBH) confirmou outro caso, de um menino de 4 anos, ainda não registrado pela SES, o que elevaria o número de mortes para 34.

Na capital mineira, duas mortes foram confirmadas em decorrência de complicações da doença pela Secretaria Municipal de Saúde. Esses óbitos, contudo, ainda não integram a lista do órgão estadual. A SES declarou situação de epidemia da dengue devido ao aumento de 211% no número de casos em apenas duas semanas.

LEIA TAMBÉM:


Em Uberaba foram nove óbitos, três em Montes Claros, duas em Uberlândia, Teófilo Otoni e Muriaé.  As cidades de Carangola, Frei Gaspar, Buritizeiro, Ituiutaba, Ipanema, Pirapetinga, Pirapora, São Geraldo de Baixio, São João da Ponte, Campos Altos, Contagem e Sete Lagoas registraram pelo menos uma morte por dengue, conforme a SES.

Uma das justificativas da Secretaria de Estado de Saúde para o agravamento da situação de dengue em Minas Gerais é a troca de gestão nas prefeituras de 83% dos municípios mineiros, o que teria causado a desmobilização de muitas equipes de controle e vigilância. Com isso houve atraso na digitação e envio de informações sobre os números de casos de dengue. Há também a dificuldade no combate aos focos do mosquito transmissor nas residências – calcula-se que 80% deles estejam dentro dos domicílios. A reintrodução do sorotipo DEN-4 em 2011 é outro fator que influencia na gravidade da doença – este tipo de sorotipo não circulava em Minas há quase 30 anos, segundo a SES.

Veja abaixo a relação de cidades com casos confirmados de dengue em Minas Gerais:

 

Município

Tx. Incidência (I)

Casos notificados

Veríssimo

14166,19

491

Ibiaí

7756,09

608

Doresópolis

6944,44

100

Lassance

6748,84

438

Capitão Enéas

6173,45

877

Delta

6118,17

496

Coronel Fabriciano

5897,09

6.121

Centralina

5832,52

599

Timóteo

5576,99

4.524

Ipanema

5448,84

990

Leopoldina

5072,75

2.594

Jequitaí

5056,18

405

São Gonçalo do Pará

4987,99

519

Buritizeiro

4936,67

1.329

Cachoeira Dourada

4868,32

122

Corinto

4861,72

1.162

Guaraciama

4852,72

229

Visconde do Rio Branco

4745,47

1.801

Augusto de Lima

4675,53

232

Jaguaraçu

4292,42

128

Bocaiúva

4221,48

1.967

Glaucilândia

3947,37

117

Machacalis

3900,20

272

Virgem da Lapa

3794,50

517

Palma

3758,59

246

Águas Formosas

3727,95

689

Caetanópolis

3686,32

377

Itanhomi

3620,25

429

São José do Goiabal

3619,59

204

Mato Verde

3429,25

435

Total

 

29.018

 

Para poder receber pacientes com suspeita de dengue, a prefeitura de Belo Horizonte determinou que os 14 postos de saúde da capital funcionem durante todo o feriado da Semana Santa.

Em balanço divulgado na quarta-feira (27) a Secretaria Municipal de Saúde informou que a cidade já tem 5.760 casos confirmados da doença, sendo que duas pessoas morreram.

Na quinta-feira, a PBH descartou a suspeita da morte de uma mulher grávida atribuída à dengue hemorrágica. A Santa Casa de BH, onde ela morreu, informou que a paciente apresentou quadro pré-existente de infecção uterina aliado ao diagnóstico de dengue, impossibilitando afirmar a causa do óbito.

(Atualizada às 17h20)