Ricardo Bastos/Hoje em Dia
casamento homoafetivo - Ricardo Bastos/Hoje em Dia
Carlos e Jorge registraram a união em cartório e não planejam adotar uma criança

A certidão de casamento da primeira união homoafetiva autorizada pela Justiça de Belo Horizonte foi entregue na tarde desta terça-feira (16). Depois de uma relação estável de sete anos e quatro meses, o consultor de vendas Carlos Chedick de Oliveira, 31 anos, e Jorge Chedick Oliveira, 30, estão casados de “papel passado”.

O primeiro passo para oficializar a relação foi dado em 22 de dezembro de 2010. Nesse dia, o casal entrou no Cartório Amaral com o pedido de formalização da união estável.

No Cartório de Registro da rua Guarani, no Centro da Capital, foi negada a certidão de casamento, mas, em fevereiro deste ano, o juiz da 11ª Vara da Família, Valdir Guimarães, determinou a expedição da documentação, com direito a inclusão do sobrenome de cada um.

Carlos e Jorge não planejam adotar uma criança. A festa para comemorar a data foi em dezembro de 2010. A desta terça-feira (16) foi planejada só para o casal, mas eles preferiram não detalhar como seria a comemoração. O dia 16 foi escolhido por ser a data que os dois se conheceram em um bar de Belo Horizonte.

Carlos Eduardo disse que não teve dificuldades de comprar a casa própria nos bancos públicos e nem na inclusão de Jorge como beneficiário no plano de saúde da empresa. No ano passado, a Justiça autorizou a emissão de certidão de relação homoafetiva de um casal de Santa Luzia, na região Metropolitana de Belo Horizonte, e em Passos, no Sul de Minas.
 
"Evitamos locais exclusivos para o público gay. Em vez de badalações, preferimos restaurantes, além de viagens", disse Jorge Chedick, que teve um irmão como padrinho na certidão emitida pelo cartório.