Prefeitura de Serra da Saudade/Divulgação
Serra da Saudade
Praça Ademar Ribeiro de Oliveira é o principal ponto de encontro de Serra da Saudade

Maria José Ribeiro tem 40 anos, é professora de educação básica há 20 e mora em Serra da Saudade, na região Centro-Oeste de Minas Gerais. Ela não é nenhuma celebridade, mas onde vive é conhecida por todo mundo. Isso porque o município tem apenas 807 pessoas, o menor do total de 5.565 no Brasil, segundo os dados divulgados nesta sexta-feira (31) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ele está empatado com Borá, em São Paulo.

Com somente cinco ruas, uma escola municipal e a praça Central (Ademar Ribeiro de Oliveira), a pequena cidade foi emancipada em 1963 e, desde então, mantém o ar de interior. E ela está em festa, já que na próxima sexta-feira (7) será celebrado o dia de Nossa Senhora do Rosário, um dos mais tradicionais na região.

"É um local muito tranquilo. Não há preocupação, como acontece na cidade grande", afirma Maria José, que viveu em Goiás por cinco anos quando era criança, mas voltou para onde nasceu e guarda suas raízes.

A paz é tanta que ao sair de casa nem é preciso trancar a porta. Os dois filhos de Maria, com 14 e 10 anos, também vivem livres, sem a necessidade de a mãe se preocupar com más influências, já que todos os moradores se conhecem. "A gente não vê drogas nem violência", comemora.

Sem um setor comercial muito grande, Serra da Saudade tem sua base econômica nos serviços públicos, fonte de renda de boa parte da população. O Produto Interno Bruno (PIB) é de 11.7 - para comparativo, o de Belo Horizonte era de 18.1 em 2011 - mas a maioria das pessoas lá nem liga muito para isso e segue a vida calmamente.

Um dos principais pontos, como é típico no interior, é a praça. "É onde a pessoas se encontram para conversar, saber das novidades, levam as crianças para brincar", explica a moradora.
 

Serra da Saudade Wiki
Serra da Saudade divide a primeira colocação de menos populosa com Borá, em SP (Imagem: Wikipédia/Reprodução)



Apesar da calmaria, o pequeno reduto de paz teve uma baixa no índice populacional, ao olharmos os dados do IBGE. Em 2010, ele contava com 815 cidadãos.

A queda, porém, não significa que as pessoas queiram deixar a região. Pelo menos é o que acontece com Maria José. "Eu gosto de tudo aqui. Não tenho vontade alguma de deixar a cidade", diz.


Na outra ponta da lista

Enquanto Borá e Serra da Saudade contam com poucos moradores, do outro lado da lista, como as cidades mais populosas do Brasil, estão São Paulo, com 11,37 milhões de habitantes, Rio de Janeiro (6,39 milhões), Salvador (2,71 milhões), Brasília (2,64 milhões) e Fortaleza (2,50 milhões).

Segundo o IBGE, em relação a 2010, não houve alteração no ranking dos 15 municípios com mais moradores. Juntos, eles somam 40,75 milhões de cidadãos, representando 21,02% da população.

Ao retirar as capitais da lista, os municípios mais populosos são Guarulhos (1,24 milhão), Campinas (1,09 milhão), São Gonçalo (1,01 milhão), Duque de Caxias (867,06 mil), Nova Iguaçu (801,74 mil) e São Bernardo do Campo (774,88 mil).

Ainda de acordo com o instituto, as cidades que apresentaram os mais significativos dados referentes ao crescimento no período 2000-2012 foram aquelas de 100 mil a 500 mil habitantes. "Isso revela que o dinamismo populacional do Brasil continua seguindo novas rotas, particularmente rumo ao interior", destaca o relatório do IBGE.

Em contraponto, o grupo de municípios com população abaixo dessa faixa teve taxas de crescimento quase insignificativas no período, sendo que alguns deles registraram índice negativo ou próximo de zero.


* Com informações do IBGE