Record Minas/Reprodução
Suspeito de matar investigador em Uberlândia
Detido negou ter atirado no peito do policial

Um homem suspeito de ter participado do assassinato de um investigador da Polícia Civil em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, foi preso na cidade de Aparecida de Goiânia, em Goiânia. O detido irá responder pelo crime de latrocínio, roubo seguido de morte, e foi apresentado à imprensa nessa quinta-feira (10).
 
De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil (PC) de Uberlândia, Jonas Belarmino de Sousa Junior, de 22 anos, confessou o crime, mas garantiu que não foi ele quem atirou contra o policial. O atirador seria Marco Tulio Dantas, de 27 anos, que morreu durante registro de tiroteio com a polícia na semana passada.
 
Segundo a PC, outros dois homens envolvidos com os responsáveis pela morte do policial também foram detidos. Todos são integrantes de uma quadrilha especializada em roubar caminhonetes de luxo.
 
Conforme as investigações, o grupo chegou a roubar pelo menos 20 veículos e Jonas afirmou que ele e o comparsa só queriam roubar a caminhonete da vítima.
 
O investigador, Vilson Roberto Pereira, de 55 anos, foi baleado quando estava em um bar do bairro Tibery, no final do mês passado. Na data, testemunhas relataram para integrantes da Polícia Militar (PM) que dois homens invadiram o local para assaltar o estabelecimento. Entretanto, o policial reagiu a abordagem e acabou sendo baleado.
 
Os denunciantes relataram ainda que o policial tentou sacar sua arma, mas um dos assaltantes atirou no peito dele. Em seguida, a dupla fugiu.
 
O proprietário do bar chegou a acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que encaminhou Vilson até o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Porém, ele não resistiu e morreu na unidade de saúde.