Sindicato dos Bancários de BH/Divulgação
greve dos bancários
Maioria decidiu pela manutenção da greve

Os trabalhadores da Caixa Econômica Federal (CEF) em Belo Horizonte rejeitaram novamente a proposta para o fim da greve apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenabran). Durante uma assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (27) na capital mineira, cerca de 200 bancários decidiram manter a paralisação por tempo indeterminado.

Segundo a presidente do Sindicato dos Bancários de BH e Região, Eliana Brasil, a categoria ainda não está satisfeita com as mudanças oferecidas pela Fenabran. "A Caixa pode melhorar a carreira profissional dos empregados e queremos um reconhecimento maior neste sentido", explica a representante.

Com a decisão, a expectativa é que a maioria dos bancários permaneça com os braços cruzados e o atendimento nas agências ainda seja prejudicado.
Nesta sexta-feira (28), os grevistas se reunirão novamente em frente à Agência Século da Caixa, no Centro de Belo Horizonte, às 13 horas, para uma nova tentativa de por fim ao movimento.

"Ainda precisamos conversar com a direção do banco para verificarmos se é possível uma negociação direta", explica Eliana Brasil. Na terça-feira (25), a Fenaban propôs, entre outras coisas, um reajuste de 7,5% para os salários, o que representa um aumento real de 2 pontos porcentuais.

No final de agosto, a federação havia oferecido proposta linear de reajuste de 6% para salários, pisos e benefícios. O pedido dos trabalhadores anteriormente era de 10,25% de reajuste salarial, sendo 5 pontos porcentuais de aumento real.

Apesar do movimento contrário da Caixa, os bancários que trabalham em instituições privadas aprovaram em assembleia na noite de quarta-feira (26) o fim da greve da categoria, que teve início no dia 18.

*Com agências