Hoje em Dia
Salário Mínimo

A partir desta quarta-feira (1º), o salário mínimo será de R$ 724. O valor, confirmado no dia 23 pela presidente Dilma Rousseff, em seu Twitter, representa um aumento de 6,78%. Atualmente o mínimo é de R$ 678.Inicialmente, o governo havia previsto um mínimo de R$ 722,90, mas o valor foi atualizado durante votação da proposta orçamentária pelo Congresso.

Deputados e senadores revisaram o salário porque o PIB (Produto Interno Bruto) de 2012, que é usado no cálculo do mínimo, foi atualizado. O mínimo é calculado com base na inflação e no PIB de dois anos anteriores, sendo que no caso de 2012 foi revisado de 0,87% para 1,03%.

A ampliação do mínimo trará um custo extra aos cofres públicos de R$ 250 milhões por conta de benefícios previdenciários, assistenciais e seguro-desemprego. "Assinei decreto que reajusta o salário mínimo para R$ 724,00 à partir de janeiro de 2014 reajuste de 6,78% sobre o valor atual", informou a presidente pelo microblog.

Acima da inflação

O percentual está acima da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo que, segundo a projeção mais recente do boletim Focus, divulgada no início da semana passada pelo Banco Central, deve fechar o ano em 5,72%.

Segundo informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o mínimo injetará R$ 28,4 bilhões na economia em 2014. De acordo com cálculos da entidade, o novo valor permite a compra de 2,23 cestas básicas. Trata-se da maior relação de poder de compra desde 1979.

O salário mínimo passou a vigorar no Brasil em 1º de maio de 1940, durante o governo Getúlio Vargas. A Constituição Federal estabelece que o valor deveria ser suficiente para suprir as necessidades básicas do trabalhador e de sua família: alimentação, moradia, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e Previdência Social.