Surete du Quebec/AFP
Acidente de trem no Canadá tem 13 mortes confirmadas
Cem mil litros de petróleo provenientes dos vagões que explodiram estão no rio Chaudiere

LAC-MEGANTIC - Um novo registro aumentou nesta segunda-feira (8) para 13 o número de mortos no acidente de trem acontecido no sábado (6) na localidade canadense de Lac-Megantic, no Québec (leste), enquanto as autoridades tentam evitar que cerca de cem mil litros de petróleo derramado cheguem ao rio San Lorenzo.

"Estamos falando de pelo menos 50 pessoas desaparecidas, que incluem, evidentemente, as 13 vítimas (mortos)", disse em uma entrevista coletiva à imprensa um porta-voz da Polícia do Québec. O registro anterior indicava cinco mortos e 40 desaparecidos.

Os corpos ainda não foram identificados, disse um porta-voz do Departamento de Medicina Forense.

Enquanto isso, cerca de cem mil litros de petróleo provenientes dos vagões que explodiram no sábado em Lac-Mégantic estão no rio Chaudiere e "existe temor" de que o combustível chegue esta noite ao rio San Lorenzo, disse à AFP um porta-voz do Ministério do Meio Ambiente do Québec, Yves François Blanchet.

Por volta das 16 horas (17 horas de Brasília), o petróleo estava na altura da cidade de Saint-Georges, a menos de 100 km da foz do rio situada no litoral sul da cidade do Québec, capital da província de língua francesa.

É "uma questão de horas" antes que o petróleo vá para o rio que liga os Grandes Lagos ao Oceano Atlântico, disse o porta-voz.

Lac-Mégantic foi cenário de um violento incêndio no sábado à 01h30 (02h30 de Brasília), quando um trem que transportava petróleo descarrilou em pleno centro, provocando a explosão de ao menos quatro vagões com 100 toneladas de petróleo cada um.

Cerca de 30 lojas e edifícios históricos foram afetados pela explosão e duas mil pessoas precisaram ser retiradas de suas casas, ou seja, um terço da população da cidade situada 25 km ao norte da fronteira com os Estados Unidos.

Investigação em andamento

Ainda não são conhecidas as causas do acidente, mas a investigação anunciada pela Junta de Segurança no Transporte canadense (TSB) aponta principalmente para uma das locomotivas do comboio que transportava 78 vagões-tanque.

Os inspetores da TSB examinaram no domingo a locomotiva e encontraram "uma cópia da caixa-preta", disse o chefe da investigação, Ed Belkaloul.

O trem da empresa americana The Montreal, Maine & Atlantic Railway (MMA) havia parado na estação do povoado vizinho de Nantes na sexta-feira por volta das 23h30 locais (00h30 de Brasília), depois que uma locomotiva pegou fogo.

Os bombeiros de Nantes apagaram esse incêndio, "que durou cerca de 45 minutos", segundo o prefeito local, e deixaram a área com a autorização dos representantes da companhia ferroviária.

No momento em que ocorria a mudança da equipe de condução do trem, ele teria entrado em movimento sozinho, acelerando no percurso entre Nantes e Lac-Megantics até se acidentar em uma curva no coração da cidade.

A companhia especulou que um "apagão" temporário do trem em Nantes depois de um pequeno incêndio no motor "pode ter provocado a liberação dos freios de ar na locomotiva que sustentava o trem em marcha".

As testemunhas do acidente descreveram uma autêntica "parede de fogo" na principal rua da cidade, que naquele momento estava muito movimentada.

Transporte ferroviário de petróleo cresce na América do Norte

O acidente reavivou o debate sobre o transporte ferroviário de petróleo na América do Norte, que cresceu nos últimos anos devido à falta de oleodutos que unam as novas bacias de petróleo do oeste do continente, especialmente as de Dacota do Norte e Alberta, com os principais mercados.

O trem da MMA transportava petróleo proveniente da Dacota do Norte em direção à refinaria Irving, na província de Nova Brunswick (leste do Canadá), através do estado do Maine (nordeste dos Estados Unidos).

No Canadá, o transporte de petróleo por via férrea cresceu consideravelmente nos últimos anos, passando de 500 vagões em 2009 a 140 mil em 2013, segundo as estimativas da indústria.

Nos Estados Unidos, esse número passou de 9,5 mil em 2008 para 234 mil em 2012, segundo a Associação de Ferrovias dos Estados Unidos, que estima que cada vagão contenha cerca de 714 barris de petróleo.