Bruno Cantini/Atlético/Divulgação
Boa campanha do Galo faz Kalil cogitar cargo de governador
Dúvida – Kalil teme as reações de Anastasia e de Aécio

As boas campanhas do Clube Atlético Mineiro nas últimas competições animaram o presidente Alexandre Kalil a lançar a pré- candidatura a governador nas eleições do ano que vem. O presidente do time alvinegro estaria prestes a filiar-se ao PSB do governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos. Sua filiação ao partido socialista seria facilitada pelo vice-presidente do Atlético e secretário de Serviços Urbanos da Prefeitura de Belo Horizonte, Daniel Nepomuceno (PSB).

O nome de Kalil surgiu como alternativa para o governo de Minas em 2014 após o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), deixar claro para Campos que não quer disputar o Palácio Tiradentes.

Como Eduardo Campos precisa de um palanque forte para sustentar sua candidatura ao Palácio do Planalto, o nome de Kalil foi sugerido ao partido. O presidente do Galo gostou da proposta e teria até imposto uma condição: só concorreria após deixar o comando do clube. O que não é empecilho, já que seu mandato termina em agosto de 2014.

Uma pesquisa para avaliar a viabilidade do nome do presidente do Atlético, inclusive, já teria sido promovida na Grande BH – o resultado animou as lideranças partidárias, pois a imagem de “bom gestor” prevaleceria sobre a imagem de “cartola do Galo”. Outro levantamento com o mesmo objetivo será realizado em todo Estado nos próximos dias.


Receio

Embora esteja animado com a possibilidade, Kalil tem receio de como será a reação do governador Antonio Anastasia (PSDB) e do senador Aécio Neves (PSDB), já que possui boa relação com os dois e sua candidatura seria de oposição aos tucanos.

Na última terça-feira, durante um evento na capital, Kalil foi questionado sobre o projeto 2014. A resposta teria sido bem ao seu estilo: “Não tenho que dar satisfação a ninguém”.

Caso o PSB consiga realizar uma aliança nacional com o PT da presidente Dilma Rousseff ou com o PSDB do senador Aécio Neves, o partido planeja lançar Kalil ao Senado. A estimativa da legenda é a de que o presidente atleticano obtenha cerca de um milhão de votos. Para que a previsão se confirme, os títulos têm que vir em campo.