SÃO PAULO – Uma operação conduzida pela Corregedoria da Polícia Militar e pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) levou à prisão de um policial militar e de um ex-policial militar que são investigados por suspeita de participação na morte de oito pessoas em Osasco na madrugada do dia 12 de julho deste ano. Na ocasião, mais duas pessoas também foram baleadas.

Os assassinatos ocorreram logo após a conquista do título do Palmeiras na Copa do Brasil após um empate, em Curitiba, com o Coritiba. A polícia descartou a tese de que brigas de torcida pudessem ter provocado as mortes já que nenhuma das vítimas foi identificada usando o uniforme do time.

O policial militar Valdir Machado de Brito e o ex-policial João Carlos Felix dos Santos foram presos ontem (10) em uma residência por porte ilegal de armas. A operação também encontrou drogas com Brito. Eles estão presos no DHPP e, segundo a Polícia Civil, estão sendo investigados. As prisões, informou a Secretaria de Segurança Pública, ocorreram por decisão judicial.

À Agência Brasil, a Polícia Civil e a Secretaria de Segurança Pública confirmaram as duas prisões, mas disseram ainda não haver provas de que eles tenham participado das mortes ocorridas em Osasco.

Procurada pela Agência Brasil, a Polícia Militar ainda não se pronunciou sobre o caso.