Games de rali nunca tiveram um lugar no Olimpo do videogame. Com exceção de “Colin McRae Rally” e do antológico “Sega Rally” poucas franquias se dedicaram ao tema. No entanto, desde o ano passado as trilhas enlameadas ficaram congestionadas com a publicação de “WRC 5”, “DiRT Rally” e mais recentemente “Sébastien Loeb Rally Evo”, que chega com o peso da assinatura do maior vencedor do Mundial de Rali, com nove títulos conquistados.

Produzido pelo estúdio italiano Milestone, que já acumula a experiência de ter tocado games da série “WRC” até a edição 2014, o game conta com boa jogabilidade, gráficos bem apurados e uma simulação de física mais realista que “WRC 5”, da Kylotonn. O desafio fica por conta dos diversos desfiladeiros e barrancos que não deixam o piloto “se apoiar” em muretas ou guardrails. Ou seja, se vacilar o carro despenca ladeira abaixo.
Assim com os demais games do gênero, o carro tende a se desmanchar a cada pancada sofrida pelo trajeto. O jogador também pode ajustar o nível de dano, podendo ser apenas visual ou comprometendo o funcionamento do carro.

Totalmente me português (legendas, menus e falas), um ponto irritante é a voz do navegador que chega a confundir a leitura dos ícones de orientação do traçado. Bom seria se fosse a narração fosse do monegasco Daniel Elena, eterno paceiro de Loeb.

Frota
“Sébastien Loeb Rally Evo” oferece boa variedade de automóveis. Ao todo são 58 carros de diversas gerações, inclusive o lendário Toyota Celica Turbo 4WD, pilotado pelo espanhol Carlos Sainz em 1992. O jogador ainda pode ajustar os parâmetros de suspensão, transmissão, freios e demais componentes dos automóveis.

Assim como “DiRT Rally”, o game não fica preso às provas de rali de velocidade e inclui categorias como rallycross e corridas de subida de montanha como o Pikes Peak, que no total somam 14 provas com diferentes estágios. “Sébastien Loeb Rally Evo” tem versões para PC, PS4 e Xbox One. Seu preço sugerido para o console da Sony, na versão digital, é de R$ 230.