"Tlês" vezes Adriana Partimpim, para o deleite da criançada

Cinthya Oliveira - Do Hoje em Dia
22/10/2012 às 11:10.
Atualizado em 21/11/2021 às 17:26
 (Divulgação)

(Divulgação)

Em um universo comandado por Galinha Pintadinha, Patati Patatá e Xuxa, é um alento a chegada de "Tlês" (Sony Music), terceira investida de Adriana Partimpim – a deliciosa vertente infantil da gaúcha Calcanhotto.

Mais uma vez, a cantora passeia por um repertório diverso, com músicas criadas especialmente para os pequenos e outras que, num primeiro momento, nasceram adultas, mas ganharam a cara da criançada.

Entre as faixas "adultas" que ganharam novos contornos estão "Taj Mahal", de Jorge Ben Jor, "Lindo Lago do Amor", de Gonzaguinha, e "De Onde Vem o Baião", de Gilberto Gil.

Das "infantis" resgatadas estão "Passaredo", de Francis Hime e Chico Buarque, "Tia Nastácia", de Dorival Caymmi, e "O Pato", outrora famosa na voz de João Gilberto. "Acalanto", também de Caymmi, ganhou a participação da neta dele, Alice.

Parcerias

Adriana se aproveita do vasto repertório de Cid Campos para o universo infantil. Se, antes, gravou "Canção da Falsa Tartaruga" e "Alface", agora é a vez de dar voz à deliciosa "Criança Crionça", música letrada pelo pai de Cid, o poeta Augusto de Campos. Impossível não se apaixonar pela onça que "desonça, despança, dispensa sua comilança".

Espaço ainda para as inéditas "Também Vocês", parceria de João Callado e Adriana, e "Por Que os Peixes Falam Francês", da dupla Alberto Continentino e Domenico Lancelotti.

Paula Toller reaparece. Para o primeiro disco, as duas escreveram a ótima "Oito Anos", sobre as perguntas que Gabriel, filho da vocalista do Kid Abelha, fazia o tempo todo, sobre tudo. Dessa vez, a música é "Salada Russa", sobre uma lista de coisas com nome "geograficamente errado".

"Na Rússia não tem salada russa/ Na Grécia não tem arroz à grega". Enquanto a primeira música trazia perguntas, essa apresenta respostas.

Produzido por Daniel Carvalho, "Tlês" mantém o mesmo nível de qualidade dos dois discos anteriores –tanto musical quanto pedagogicamente, porque instiga a criançada, mesmo sem soar educativo.

Amigos virtuosos

Porém, este trabalho parece dar um passo ainda maior com relação aos arranjos superelaborados, aproximando-se mais das sonoridades dos discos mais elogiados do circuito indie brasileiro da atualidade.

Não poderia ser diferente, já que Adriana contou com toda a turma de amigos virtuosos: além de Alberto Continentino e Domenico Lancelotti, estão lá Alexandre Kassin, Berna Ceppas, Rodrigo Amarante, Moreno Veloso, Pedro Sá e Davi Moraes. Além dos instrumentos usuais, esses músicos abusaram da imaginação com tudo o que estivesse por perto e gerasse um bom ruído: moeda, desentupidor de pia, parede...

Outro diferencial de "Tlês" é o projeto visual de Fernanda Villa-Lobos a partir de fotos de Leo Aversa. Capa e encarte trazem estampada uma bonequinha de pano que remete ao personagem Partimpim e vários objetos, todos confeccionados por Clara Zúñiga. A exceção é a guitarra de feltro, feita por Alexandre Kanashiro.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por