No ano de 1953, a Chevrolet lançou um esportivo conversível compacto para concorrer com os roadsters europeus. E apesar de um início de carreira tímido, o Corvette se tornou o principal ícone da marca. E depois de comemorar os 60 anos do ícone, com a versão cupê, o fabricante da gravatinha acaba de anunciar o lançamento comercial do Corvette Stingray Convertible, que já chega com a edição limitada, Premier Edition.

Serão apenas 550 unidades, distribuídas no mercado norte-americano, que contaram com pintura exclusiva em tom verde (Lime Rock Green), teto de tecido bege (Brownstone) e interior em couro de mesmo tom. Ele terá plaqueta de identificação e um jogo de malas personalizado.

Seu conjunto mecânico não sofreu alterações e o conversível vem equipado com motor V8 6.2 litros de 450 cv e 62,2 mkgf de torque. A Chevrolet só não informa se ele será oferecido com transmissão automática de seis marchas ou caixa manual de sete velocidades.

Para que edição de lançamento não seja marcada apenas pelas exclusividades cosméticas, o Premier Edition recebeu o pacote Z51 Performance Package, que conta com controle eletrônico do diferencial, além da inclusão de carter a seco no bloco do motor e sistema de refrigeração mais eficiente.

American Way

A Chevrolet sabe que até mesmo o Vette precisa ser mais eficiente, já que seus concorrentes europeus têm adotado recursos para reduzir emissões. Mesmo assim, o modelo manteve características inalteradas como o uso de um gigantesco V8 com aspiração natural e comando de válvulas no bloco, mas que se sobressai pela generosíssima oferta de torque em baixa rotação.

De acordo com a General Motors, o motor oferece os 62,2 mkgf de torque já a 1.000 rpm e se mantém plano até os 4 mil giros. Esses números só foram atingidos devido a adoção de injeção direta de combustível, além de abertura variável das válvulas. Para torná-lo mais econômico, ele conta com sistema automático de desligamento dos cilindros.

Ou seja, esse Corvette permite um uso dócil no transito urbano, bastando apenas que o motorista trisque o acelerado. Por outro lado, é preciso ter atenção com o pé direito. Pois quando se pisa, mordendo a língua, o Vette dá um coice tão forte, que toda a eletrônica é bem vinda para poder manter a “arraia” no prumo.

O preço da edição limitada é de US$ 77.450, que em reais corresponde a R$ 178 mil. Menos do que é cobrado pelo Camaro, por aqui.