Candidato à reeleição pelo PSB, o prefeito Marcio Lacerda disse nesta sexta-feira (27), em evento de campanha, que pretende lidar com manifestações de rua de duas formas: com a Polícia Militar (PM) ou com a Justiça. Segundo ele, é preciso ter quatro policiais militares para cada manifestante. Marcio disse que chegou a tentar impedir o fechamento de ruas e reflexos no trânsito no ano passado, quando os professores estaduais realizaram a maior greve da história mineira, porém, foi derrotado pelo Judiciário estadual. A declaração ocorre após centrais sindicais terem manifestado apoio à candidatura do PSB. 
 
Ao ser questionado sobre o que pretenderia fazer, caso reeleito, para evitar transtornos como o que ocorre no caso do protesto dos caminhoneiros, o prefeito disparou. “O município pode atuar de duas formas: pedindo ajuda à Polícia Militar e entrando na Justiça”, afirmou. Ele avaliou ser errônea a política pública estadual de acompanhamento, sem intervenção, de manifestações pelo militares. “A PM tem uma política de não intervir forte nestes casos. È uma orientação que existe dentro do Estado, do comando. Nós não temos ação sobre isso. Portanto, é algo que nos incomoda, que incomoda à população”, diz. 
 
Para o prefeito, para coibir o fechamento de ruas, seria preciso mudar a orientação e aumentar o efetivo militar. “Acho que deveria haver um efetivo superior, quatro pessoas para cada manifestante e, delicadamente, um em cada extremidade, afastar a pessoa e dar direito de circulação a quem precisa. Em outros países funciona desta forma. Não se pode fechar a rua impunemente. Aqui também deveria ser assim”, completou. Ontem, caminhoneiros fecharam diversas vias mineiras, incluindo a BR-040, um dos principais acessos rodoviários ao Estado de São Paulo.