Envergonhado e com dor, Zé Roberto vê atletas repetirem "peixinho"

Gazeta Press
09/08/2012 às 22:05.
Atualizado em 22/11/2021 às 00:20

Ao final da vitória por 3 a 0 sobre o Japão, que garantiu o Brasil na decisão dos Jogos Olímpicos de Londres, José Roberto Guimarães correu, abraçou atletas e integrantes da comissão técnica, foi até a torcida, mas não repetiu o "peixinho" que deu depois do triunfo sobre a Rússia, na terça-feira (7).

"Ainda acordei com as costas doendo. Baita vergonha", divertiu-se o técnico da Seleção Brasileira feminina de vôlei, aos 58 anos. Ele também mostrou aos jornalistas um machucado no braço direito como marca da comemoração por passar das quartas de final.

Mais jovens e dispostas que o chefe, as jogadoras da Seleção Brasileira resolveram homenagear o treinador durante a festa em quadra após a vitória sobre o Japão. Enquanto algumas repetiram o "peixinho" de Zé Roberto, outras realizaram uma sequência de cambalhotas.

"O peixinho foi para imitar o Zé. As cambalhotas foi uma coisa que as meninas inventaram", riu a levantadora Dani Lins, uma das que repetiu o gesto do treinador. A festa, no entanto, para por aí, já determinam as jogadoras. No sábado, o grupo brasileiro volta à quadra para fazer a decisão das Olimpíadas co

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por