RIO DE JANEIRO - Nada de caça às bruxas. Com a sobriedade que lhe é peculiar, o técnico da Espanha, Vicente Del Bosque, pediu um tempo para reflexão para digerir a eliminação precoce na Copa do Mundo. Em entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira (18), no Maracanã, o comandante afirmou que o adeus ao Mundial trará consequências, sim. Porém, não é o momento de analisar a queda no torneio. 
 
“Eu não queria falar tão imediatamente sobre o que aconteceu. Temos que ter um tempo para pensar sobre isso. Achávamos que estávamos em boas condições. Mas o segundo tempo contra a Holanda e o primeiro de hoje mostraram que, às vezes, as coisas não acontecem como pensamentos”, afirmou Del Bosque.
 
O comandante da Fúria pediu um momento para reflexão, para não ultrapassar etapas com seus atletas. Segundo ele, a Espanha está unida em torno da seleção e certamente os ibéricos darão a volta por cima. 
 
“É óbvio que quando acontece algo negativo em  um Mundial, isso traz consequências. Porém, não gostaria de entrar nessa análise, pois precisamos de um momento para reflexão para não queimar os jogadores. O mais importante é que a Espanha está consolidada. Não está em decomposição. E conseguiremos nos reerguer”, avaliou o técnico. 
 
Del Bosque, porém, não deixou de criticar a atuação dos seus atletas. Segundo o treinador, os jogadores se apresentaram de forma covarde na partida desta quarta-feira (18), quando foram derrotados pelo Chile por 2 a 0. 
 
“O espírito que tínhamos no grupo não me fazia acreditar que cairíamos na primeira fase. Não era o caso de termos falta de entusiasmo. Fizemos um bom primeiro tempo contra a Holanda, mas tomamos quatro gols no segundo. Hoje, fomos acovardados no primeiro tempo e melhoramos na segunda etapa. Mas isso não mostra o que nosso time nos deu durante o período de concentração para a Copa”, disse o comandante espanhol. 
 
Por fim, Del Bosque agradeceu ao carinho da torcida espanhola e lamentou não lhes dar alegrias. “É certo que nesses dias tivemos uma série de mensagens sempre positivas, de afeto. Mas naturalmente é um dia triste para aqueles que são carinhosos conosco. Não só para eles, mas para nós, que vivemos isso em primeira pessoa. Lamentamos não dar alegrias para esses torcedores”, completou o treinador.