Herói do segundo título Mundial do Uruguai - em 1950, na Copa do Brasil, na decisão que ficou conhecida como Maracanazo -, o ex-jogador Alcides Ghiggia criticou a atitude de Luis Suárez, que na vitória da Celeste por 1 a 0 sobre a Itália, nesta terça-feira (24), mordeu o zagueiro Giorgio Chiellini.

"Creio que uma punição poderia ser aplicada, porque é absurdo, não é a primeira vez que isso acontece. Não sei o que este rapaz pensa, o que tem na cabeça. Seja uruguaio ou seja de outra nacionalidade, sempre é preciso reprovar essas coisas em um campo de jogo, porque isso não é uma guerra", afirmou Ghiggia à agência de notícias Reuters.

O Comitê Disciplinar da Fifa iniciou nesta quarta-feira (25) uma investigação para apurar o episódio. A entidade máxima do futebol determinou que a Federação Uruguaia e Luis Suárez apresentassem uma defesa até o fim da tarde desta quarta-feira. Caso seja punido, o atacante pode ser suspenso pelas próximas partidas da Celeste no Mundial.

Classificada, a Celeste volta a campo no próximo sábado, às 17 horas (de Brasília), quando enfrenta a Colômbia, no Maracanã, pelas oitavas de final da Copa do Mundo.