O técnico Oscar Tabárez gostou de ver seus jogadores recorrerem à tradicional raça uruguaia para vencer a Inglaterra por 2 a 1, na tarde de quinta-feira (19). No entanto, o treinador lembrou que a seleção celeste não usou a garra como único artifício.

"Nós damos muita importância à atitude desta seleção, que nunca se entrega. Acho que este vai ser um dos nossos pilares para aspirações futuras, mas seria injusto com o futebol uruguaio esquecer todas as outras situações, pois também fazemos gols elaborados. Pelo fato de não desistirmos, parece que não sabemos jogar futebol", comentou.

No primeiro gol na partida realizada na capital paulista, em rápido contragolpe, Cavani dominou de frente para a marcação pela esquerda e cruzou com perfeição nas costas da zaga, onde apareceu Luis Suárez para cabecear. No segundo, Muslera chutou para o campo ofensivo e, após desvio, o camisa 9 recebeu para fazer mais um no jogo. Mesmo defendendo a qualidade de sua equipe, Tabárez avalia que o Uruguai nem sempre consegue exibições atraentes."Talvez não sejamos uma seleção atraente, mas temos jogadores que correm o tempo todo e têm carinho por nosso futebol, por nosso país. Para nós, isso é muito importante. Claro que no jogo contra a Itália vamos tentar chegar com toda essa bagagem, mas vai ser tão difícil quanto na partida de hoje (quinta), porque Copa é assim mesmo", declarou o treinador.

Recuperado depois da derrota para a Costa Rica na estreia, Tabárez espera que a postura adotada contra a Inglaterra seja repetida na última partida desta fase de grupos da Copa do Mundo, contra a Itália, na terça-feira.

"Essa é nossa intenção e espero que a gente consiga. Claro que as intenções só podem ser ratificadas ou não na hora do jogo. Mas, contra a Inglaterra, conseguimos realizar o que tínhamos planejado", ponderou.