TERESÓPOLIS - Foi um dia especial para cerca de 60 pessoas, vítimas e parentes da tragédia que assolou a cidade localizada na Região Serrana do Rio de Janeiro em 2011. Nesta quarta-feira (25), elas tiveram a oportunidade de conferir de perto o treinamento da Seleção Brasileira, além de pegar autógrafos e tirar fotos com seus ídolos.
 
Entre as dezenas de crianças que se emocionavam com o contato com os craques da Seleção Brasileira estava Marquinho, de 14 anos. Em janeiro de 2011, ele sobreviveu à enchente que destruiu o bairro Campo Grande, onde mora, mesmo após ser arrastado por quatro quilômetros pela força da água. Vestido com a camisa canarinho, e sem esconder uma alegria autêntica, ele vibrou por ter conseguido trocar algumas palavras com seus ídolos, afirmando que aquele era o dia mais feliz da sua vida.
 
“Foi emocionante. Olha só, peguei autógrafo de todos. Tirei foto com todos eles. Não consigo nem acreditar. Estou muito feliz de estar aqui. É o dia mais feliz da minha vida”, afirmou o garoto.
 
Marquinho autógrafoFã de Neymar, Marquinho não escondeu a satisfação de carregar a bola e a camisa com autógrafos do camisa 10 canarinho. “Vou guardar para sempre. Consegui um autógrafo e uma foto com ele”, declarou o garoto. 
 
Em janeiro de 2011, as fortes chuvas que atingiram a Região Serrana do Rio de Janeira trouxeram o caos à Teresópolis. As enchentes destruíram por volta de 50 bairros do munícipio, deixando quase 20 vítimas. Os números oficiais apontam para quase 400 mortes e outras centenas de pessoas até hoje desaparecidas. 
 
Luiz Gustavo
 
Em entrevista coletiva realizada após o treinamento, o volante Luiz Gustavo elogiou a iniciativa da CBF de trazer as vítimas da tragédia de Teresópolis para um contato mais próximo com a Seleção Brasileira. Segundo o jogador, o carinho recebido é um momento que ele vai levar por toda sua vida. 
 
“É sempre bom compartilhar momentos como esse. Nós olhamos aquelas crianças e, se ninguém tivesse nos contado a situação delas, nós nem imaginaríamos como elas poderiam sorrir. É uma coisa que nos motiva. Nos mostra como somos privilegiados de levantar, ter uma família, um conforto a mais. Esses detalhes eu levo para minha vida, pois me fortalece. Todos que tiveram esse contato com eles hoje levarão esse momento para o resto da vida”, completou o volante.