Um sedã de luxo oferece mordomias exclusivas, espaço generoso, mas geralmente tem estilo conservador e uma aparência um tanto letárgica, mesmo que seu conjunto mecânico prove o inverso. Uma das grandes sacadas da indústria automotiva (em especial aos fabricantes premium alemães) foi unir a esportividade dos cupês com o conforto dos sedãs, como é o caso do Audi RS7, versão furiosa do cupê quatro portas da marca das quatro argolas. Equipado com um motor biturbo V8 4.0 de 560 cv e um torque descomunal de 71,4 mkgf a irrisórios 1.750 rpm, o RS7 acelera como se fosse uma pedra no bodoque, capaz de sair da imobilidade e chegar aos 100 km/h em 3,9 segundos e atingir a velocidade máxima de 305 km/h.
 
O conjunto motor é completado pela transmissão automática de oito velocidades. Para sustentar todos esses números, o RS7 recebeu conjunto de suspensão de alta performance, assim como novo kit de freios, com discos de cerâmica e pinças maiores que os utilizados no A7, modelo base para a versão esportiva. Tudo isso garante estabilidade e capacidade de frenagem impecáveis, dando condições para que o motorista pise fundo e mantenha o controle.

Por dentro, o cupê conta com vasto pacote de conteúdo e muita tecnologia. O acabamento em couro Alcantara nos bancos, volantes e painéis, assim como os apliques em fibra de carbono garantem o refinamento, mas com ar esportivo.

Já o sistema de áudio de alta fidelidade Bang&Olufsen é simplesmente formidável. O problema é que ele acaba concorrendo com a sinfonia dos oito cilindros que ecoam nas quatro ponteiras do escapamento, que não deixam dúvidas de que se trata de um carro capaz de fazer um Porsche 911 comer poeira.

Em Belo Horizonte, é possível encontrar o RS7 para pronta entrega na concessionária Audi Center (Raja Gabáglia, 4.181), onde é oferecido por R$ 585 mil.