Turistas brasileiros voltam da Europa impressionados com os carros a diesel. Até pensavam estar dirigindo um automóvel a gasolina, pois hoje são extremamente silenciosos, isentos de vibrações e de bom desempenho. Mas eles são proibidos no Brasil.
 
O governo federal, questionado, tem uma explicação marota, de que a medida contribui para a limpeza da atmosfera, reduzir a nocividade dos gases do escapamento e os índices de poluição.
 
IMPOSTOS
 
Mas a verdade é outra. Na época, o governo decidiu reduzir os impostos do diesel para baratear o transporte de passageiros (ônibus), carga (caminhões) e agrícola (tratores e jipes) e se proibiu então sua utilização nos automóveis de passeio. Além disso, o refino do petróleo privilegiava a gasolina e a medida contribuiria para reduzir a importação do diesel, cada dia mais cara. E o Pró-Alcool estava em seus primórdios: se era difícil o etanol competir com a gasolina, nem pensar em disputar espaço com o diesel, em termos energéticos.
 
Tem até projeto de lei na Câmara dos Deputados, de autoria do deputado Camilo Cola (PMDB-ES), que tenta derrubar a proibição, que vem desde os tempos do extinto Departamento Nacional de Combustíveis (DNC), na década de 70. E até movimento (“Aprove-Diesel”) para tentar corrigir esta distorção.
 
EFICIÊNCIA
 
O diesel sempre foi mais eficiente e de consumo inferior ao da gasolina. Mas seus motores, alem de mais caros, vibravam, poluíam, eram fumacentos e de reduzido desempenho. Entretanto, passaram por uma extraordinária evolução tecnológica e tem muitos anos que, além dos compactos e médios europeus, modelos maiores, sofisticados e esportivos como BMW, Mercedes e Jaguar oferecem a opção diesel. Que participa hoje com cerca de 50% do mercado europeu de automóveis, apesar de todas as exigências e limitações impostas às emissões. Ele se tornou tão silencioso e equilibrado que muitas vezes nem se percebe estar ao volante de um automóvel a diesel.
 
O Brasil é provavelmente o único país do mundo a proibir automóveis a diesel e o governo atual mantem a decisão tomada há quase cinquenta anos pelo governo da ditadura.
 
EVOLUÇÃO
 
Os motores a gasolina (e etanol) passaram por uma notável evolução e estão se tornando cada dia mais eficientes. Mas, nada justifica isolar o país do resto do mundo e eliminar a possibilidade de tornar mais eficiente nossa matriz energética. Até porque, se temos motores movidos pelo derivado da cana, contamos também com o biodiesel derivado de plantas oleaginosas (soja, girassol, dendê, etc), um combustível renovável, biodegradável e que polui muito menos que o diesel derivado do petróleo.
 
O governo federal pode ter suas razões para manter a proibição ao diesel nos automóvel, mas alegar preocupação com o pulmão do brasileiro é pura hipocrisia.
 
Brasileiro se engana e coloca gasolina no lugar do óleo
 
As locadoras europeias já sabem: quando liga um brasileiro, parado na estrada porque o carro alugado deu pane, elas perguntam se ele abasteceu alguns quilômetros antes. E nem hesitam em mandar socorro que já vai esgotando a gasolina colocada (por engano) no tanque e reabastecê-lo com diesel.Como os postos tem bombas automáticas, não tem frentista para lembrar o motorista de que o combustível daquele modelo não é gasolina, mas diesel... Um engano mais comum do que se imagina.