Entre as três marcas premium alemãs que anunciaram produção local, a BMW foi que saiu na frente e só agora a Audi iniciou a fabricação do A3 Sedan. E desde de o ano passado já nacionalizou quatro modelos (Série 1, Série 3, X1 e X3) e agora ampliou o volume com o início da fabricação do jipinho Mini Countryman.

O modelo chega nas versões Cooper S Top e Cooper S All4, com preços que partem dos R$ 143.950 (Top) e R$ 149.950 (All4). Para quem não sabe, o jipinho ficou, pelo menos, R$ 17 mil mais caro em relação à versão Cooper S Exclusive, que vinha do Reino Unido, que deixou de ser importada para cá.

Assim como os demais modelos que saem da planta catarinense da Araquari, o Countryman é produzido no regime CKD, em que os o carro chega em módulos para serem montados na unidade local.

O Countryman brasileiro segue na mesma configuração do modelo britânico, e é equipado, em ambas as versões, com motor turbo 1.6 de 184 cv e transmissão automática de seis marchas. A versão Top oferece tração dianteira, enquanto a All4, como o nome sugere, conta com tração integral.

Nova geração

No entanto, o consumidor deve ficar atento, pois o Countryman já esta chegando ao sexto ano de mercado, e a BMW já faz testes com a nova geração que poderá ser revelada no Salão de Genebra, em março do ano que vem. Na pior das hipóteses, ele deverá ser apresentado no Salão de Paris, no terceiro trimestre de 2016.

A nova geração deverá adotar a unidade turbo 2.0 de 184 cv, assim como o atual Cooper S. Talvez seja prudente esperar mais um pouco!