Parece irônico, mas num grupo como a Chrysler, que é conhecida por modelos anabolizados como Plymouth Barracuda e Prowler, assim como os Dodge Challenger, Charger e Viper e Chrysler 300C, um dos maiores sucessos é uma minivan, a popular Town & Country, uma das pioneiras no segmento e que acaba de ter seu nome aposentado dando lugar à Pacifica, que mantém basicamente os mesmos atributos que deram renome à antecessora.
 
Construída sobre uma nova plataforma, o modelo ficou mais leve que a Town & Country e a prima Dodge Caravan. O desenho também mudou e segue a atual identidade visual já adotada em alguns modelos Chrysler e Dodge, como o sedã Dart. O resultado é bacana, mesmo para um modelo pouco excitante, como um pacato minivan.

Mas, de pacata, o modelo não tem nada. A Pacifica, assim como sua antecessora, é equipada com o mesmo motor do Jeep Grand Cherokee, o competente Pentastar V6 3.6 de 287 cv e 36 mkgf de torque, associado à transmissão automática de nove marchas.
 
Claro que não se deve esperar um comportamento semelhante ao de um Challenger, ainda mais numa perua que tem o comportamento dinâmico de um mastodonte. No entanto, o conjunto mecânico oferece força suficiente para que um modelo tão grande e pesado possa fazer ultrapassagens com segurança. A transmissão com múltiplas marchas garante um consumo mais moderado. A Chrysler ainda oferece uma unidade híbrida 258 cv, para quem quer economizar ainda mais na hora de visitar o frentista.
 
Com capacidade para sete ocupantes, a minivan oferece muito conforto à bordo, e pode ser configurado com poltronas individuais na fileira central. O Pacifica ainda oferece sistema de entretenimento Uconnect com monitor de 8,4 polegadas. Suas vendas começam ainda este semestre nos Estados Unidos. A Pacifica deverá chegar por aqui no início de 2017.