Não se pode negar que a decisão da General Motors em importar o Camaro para o Brasil foi algo muito legal. Apesar de o cupê ser um automóvel que demande cuidados, devido ao excesso de torque e à limitada visibilidade, o muscle car arranca sorrisos com seu ronco zangado e saídas de traseira (com o controle de tração desativado). E com a chegada da nova geração, apresentada no ano passado, a marca se prepara para lançá-la por aqui.

O novo Camaro manteve a identidade visual inspirada na primeira edição do cupê, de 1966, mas com linhas mais angulosas e robustas. Para o mercado norte-americano e também para o europeu, a Chevrolet desenvolveu uma versão equipada com motor turbo 2.0 de 279 cv. Nos Estados Unidos ainda há uma opção intermediária com motor V6 3.0 de 330 cv.

No entanto, a versão destinada para o Brasil continuará sendo a SS, equipada com o mesmo V8 6.2 da atual geração, mas com significativo ganho de potência, despejando nada menos que 461 cv nas rodas traseiras. A transmissão continuará sendo automática (o que é uma pena se tratando de muscle car.

Por dentro o Camaro também evoluiu em termos de ergonomia, com comandos mais funcionais que o visual retrô e pouco prático de antecessor.