A Porsche acaba de assumir as operações comerciais no Brasil, com a criação de sua 18% subsidiária no mundo e a primeira na América Latina, com sede em São Paulo. Até então, as importações da marca alemã eram de responsabilidade da Stuttgart Sportcar, que representava a marca por aqui. Na prática, significa que, agora, a própria Porsche tomará as decisões sobre as estratégias de mercado para o Brasil.

Com sete lojas no país, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, a marca vendeu 367 carros entre janeiro e junho deste ano, segundo a Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa).

Desse montante, o principal produto da marca passou a ser o utilitário-esportivo (SUV) Macan, versão compacta do grandalhão Cayenne, que teve 211 unidades licenciadas. O jipão é o segundo mais vendido, com 60 unidades, sendo acompanhado pelo roadster Boxster, com 45 emplacamentos. O clássico 911 teve 25 unidades vendidas, sendo que seis delas são da versão Turbo.

Lançamento

Para marcar a inauguração da filial, a Porsche acaba de lançar o 911 GT3, que desembarca ao preço de R$ 874.500. Vendido apenas sob encomenda, que pode ser feita em qualquer concessionário, o GT3 é equipado com motor boxer 3.8 de 481 cv e 44,9 mkgf de torque. Complementa o conjunto mecânico a transmissão automatizada de dupla embreagem PDK de sete marchas. O bólido acelera de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos e atinge máxima de 315 km/h.