Lançado em 1953 do Porsche 550 Spyder entrou para história não apenas por ser um esportivo compacto, extremamente leve e totalmente despojado de qualquer sofisticação, mas por ter sido o automóvel em que o ator James Dean morreu em 1955. Mas isso não faz com que a marca de Stuttgart o renegasse, pelo contrário a essência do 550 se mantem no Boxter Spyder, que ganha nova edição para a atual geração do roadster.

O novo Spyder basicamente é uma atualização da versão de 2012, em que o principal destaque está na tampa do porta-malas, com duas corcovas que acompanham os santo-antônios e pela capota de lona que apesar de erguer eletricamente, exige que o motorista prenda duas tiras manualmente a dois ganchos fixados na carroceria. Mas o teto só necessário quando uma tormenta resolver cair, pois seu negócio é ter o sol como testemunha.

Sob o capô, o Spyder conta com o mesmo conjunto mecânico desenvolvido para o nervoso Cayman GT4. Trata-se de um motor boxer seis cilindros 3.8 litros, dotado do mesmo sistema de injeção direta de combustível do 911 Carrera S, que lhe confere uma potência de 380 cv, que lhe permite acelerar de 0 a 100 km/h em 4,2 segundos e máxima de 290 km/h.