Após cinco anos sendo realizado fora de Minas Gerais, Pouso Alegre recebe de volta o Simpósio Nacional do Morango, em sua sétima edição. O evento, aberto ontem, está sendo realizado no Instituto Federal do Sul de Minas (IFSuldeminas), instituição que conta com oito campi localizados em municípios da região sul do estado. A frente do evento, que será encerrado amanhã, está o doutor em agronomia/entomologia, professor do IFSuldeminas, Luiz Carlos Dias da Rocha, que conversou com Força do Campo sobre o instituto e a realização do simpósio.

Quais são os principais desafios do IFSuldeminas?

Criado em 2008, a partir da fusão de três antigas escolas agrotécnicas localizadas em Inconfidentes, Machado e Muzambinho, o IFSuldeminas expandiu sua atuação para os municípios de Passos, Poços de Caldas e Pouso Alegre. Mais recentemente, passou a contar com dois campi avançados em Três Corações e Carmo de Minas. Nosso principal desafio é expandir a atuação da instituição em todo o sul de Minas, considerando os 178 municípios que compõe essa região, alcançando o maior número de pessoas com a oferta de cursos técnicos, superiores, pós-graduação e ensino a distância (EaD). Para isso, precisamos da ampliação das vagas nos cursos já existentes e abertura de novos polos em parceria com as prefeituras A previsão para esse ano é certificarmos mais de 4.900 estudantes, apenas nos cursos presenciais.

Quais os cursos na área de Ciências Agrárias?

Temos atuação em diversos níveis: técnicos em Agrimensura e em Agropecuária no ensino presencial, e em Cafeicultura na modalidade do Ensino a Distância (EaD). Os cursos superiores são de Engenharia Agronômica, Engenharia de Agrimensura e Cartográfica e Tecnologia em Cafeicultura. Já os de pós-graduação, são oferecidos em Produção Animal e em Cafeicultura.

Como é sediar o 7º Simpósio Nacional do Morango?

O I Simpósio Nacional do Morango aconteceu em Pouso Alegre (MG), em setembro de 1999, e organizado pelo grupo de pesquisadores da Epamig. Depois disso, outras cinco edições do evento foram realizadas pela Embrapa Clima Temperado, e aconteceram no Sul do Brasil. Neste ano, o simpósio retornou as suas origens, contemplando a maior região produtora de morango. Estamos promovendo um espaço para exposição de ideias, debates e construção de soluções criativas para o desenvolvimento sustentável da cultura do morango e pequenas frutas.

O que é esperado para este evento?

Discutimos os atuais desafios na produção do morango. Estão sendo realizadas palestras visando a orientar os produtores sobre o melhoramento da lavoura, produção sustentável e manejo. Temos também espaços para a apresentação de trabalhos de pesquisa e extensão e debates sobre pequenas frutas do sul de Minas, como mirtilo, amora e framboesa. É importante ressaltar que a realização do evento é uma parceria entre os campi Inconfidentes e Pouso Alegre e a Reitoria; além da Emater-MG e Epamig, com apoio do IMA, Embrapa e Prefeitura de Pouso Alegre.

O público sairá mais capacitado?

Recebemos cerca de 150 pessoas entre agricultores, estudantes, professores e técnicos envolvidos com a cultura do morango e de pequenas frutas. O objetivo é reunir o máximo de informações sobre o tema e proporcionar uma produção com maior qualidade, baixos riscos para o meio ambiente e maior segurança para a saúde de produtores e consumidores. Temos também um espaço onde estão sendo divulgados os principais trabalhos desenvolvidos nas instituições públicas e privadas do país.