Considerado um dos mais importantes saxofonistas e flautistas da atualidade, Eduardo Neves se uniu  ao músico e amigo Rogério Cardoso, reconhecido por seu talento no violão de sete cordas, no projeto “Cosmopolita”.
 
O álbum mistura ritmos e mostra transição entre o popular e o erudito. O resultado chama atenção por contemplar a cultura brasileira, e misturá-la a outras, como a francesa, por exemplo.

A mixagem de estilos é exaltada pelo compositor Edino Krieger que avalia o trabalho como essencial, já que carrega, como ele afirma no encarte do disco, “a essência da música de câmara e, também, elementos fundamentais da música brasileira”.
 
“Cosmopolita” une instrumentos de sopro e o violão sete cordas, e apresenta um passeio entre o jazz e o choro, com elementos do frevo, samba e também da bossa nova.

O novo disco é composto por oito canções inéditas e três regravações, entre elas, “Meu mundo” e “Um chorinho em Cochabamba”, composição assinada pela dupla. Entre as inéditas, destacam-se as canções “Valsa D’Yamandu” e “Mes Amis de Paris”.
 
“Pensamos nas músicas que ficaram melhores na flauta e no violão”, conta Rogério. O músico enaltece a novidade do trabalho, que inova ao trazer o violão de sete cordas como solista e acompanhador. “É uma forma nova de se explorar o instrumento”

*Colaborou Jéssica Malta (Especial/Hoje em Dia).