Ivete Sangalo, que está dando um verdadeiro show de atuação na pele da tempestuosa Maria Machadão na novela "Gabriela" (Globo), afirmou que seria "quenga" se vivesse na década de 1920. A revelação foi feita ao site oficial da trama.

"Se eu vivesse naquela época, ia ser quenga! Eu não sei se eu me adequaria às regras daquele tempo. Existe um drama em torno dessa época, mas acredito também que existiam mulheres que se casavam por amor e maridos que amavam suas esposas", disse.

Também na entrevista, a cantora baiana confessou que a ajuda do ator Antonio Fagundes foi essencial para seu desempenho como atriz. "Fagundes me pegou pela mão e disse: 'Olhe, querida, você se acalme, você vai arrasar!'. Sabe quando você tá no escuro e a pessoa te traz uma lanterna? Foi assim. Ele é maravilhoso. E ele tem uma coisa incrível que é acreditar no que está acontecendo enquanto atua. Eu pensava comigo: 'Eu não tenho outra alternativa senão ser Machadão'. Não era Fagundes, não era eu. Éramos Ramiro e Maria Machadão. É constrangedor se eu não fizer bem", contou.

Na trama, Ivete é dona do Bataclã, a casa de prostituição na pacata cidade litorânea de Ilhéus.