Neste fim de semana, chega ao fim a 45ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança. Incrustada na agenda cultural de Belo Horizonte, a iniciativa levou mais de 125 mil pessoas ao teatro até o último domingo (17). Este ano, a Campanha contou com 166 espetáculos, divididos entre dança, teatro infantil e teatro adulto.

O último fim de semana de Campanha guarda opções para todos os gostos. No teatro adulto, um dos destaques é “Os Orixás”, última montagem do Giramundo, dirigida pelo criador do grupo de teatro de bonecos, Álvaro Apocalypse, falecido em 2003. A peça acontece no Cine Theatro Brasil Vallourec, no domingo, às 19h30.

No Palácio das Artes, a Cia de Dança apresenta “Lalangue: Carta à Mãe”, que acontece hoje, às 20h30, e domingo, às 19h. O espetáculo mergulha no universo dos manifestos, a partir da figura das mães. Para ver a programação completa, acesse www.vaaoteatromg.com.br.

Crescimento

Para Rômulo Duque, presidente do Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas de Minas Gerais (Sinparc), a Campanha superou expectativas. “Houve um crescimento em relação ao ano passado. É um projeto que continua firme, refletindo o grande momento da produção cênica de Minas”, diz. 

Duque destaca a importância de manter a Campanha em tempos de ameaças a políticas públicas para a cultura. “Só nesta edição, foram três mil pessoas trabalhando. No último fim de semana, eram mais de 50 espetáculos em BH, sem contar a programação em Betim, Contagem, Nova Lima e Sete Lagoas”, afirma. É um contingente relevante para a geração de empregos”.

O presidente do Sinparc defende ainda os mecanismos de incentivo à cultura. “Trabalhadores de todos os setores têm algum tipo de incentivo fiscal. Na relação de projetos com incentivo fiscal, a área cultural é uma vírgula”, defende, lembrando que, em 2019, a verba foi de R$ 750 mil para os três meses de Campanha e para o Festival BH de Artes Cênicas, que ocorre em julho.