Mais de cem mulheres do universo artístico e midiático brasileiro – cinema, TV, teatro, moda, literatura etc – são agraciadas com crônicas em “O Livro das Mulheres Extraordinárias” (editora Três Estrelas), obra que Xico Sá lança nesta terça (21) e quarta-feira (22) em Belo Horizonte por meio do projeto “Sempre um Papo”.

Há no livro um desfile de beldades, como Luiza Brunet, Camila Pitanga, Gisele Bündchen, Sabrina Sato, Isis Valverde, Marisa Monte e muitas outras. Mas também existe espaço para grandes intelectuais, como Lygia Fagundes Telles, que foi uma enorme referência literária para Xico Sá.

O autor afirma que esses textos são “cantadas literárias”. “Os meus dois únicos critérios para o livro são tesão e agregação. Algumas mulheres tinham as duas características, como a Camila Pitanga. Escrevi depois de ter me encontrado com ela, sem querer, em um Réveillon na praia de Carneiros, em Recife”, afirma o escritor e jornalista sobre o maior texto da compilação.

O desenvolvimento da obra demandou três anos de trabalho. A ideia inicial era escrever sobre 50 mulheres, mas, com o passar do tempo, mais personalidades inspiravam o autor, que chegou a listar 320 nomes para o projeto. Ou seja, a edição não foi fácil.

“A editora já me pediu um segundo número, aproveitando o material que ficou do lado de fora. Vai ser bom para publicar um texto ótimo que escrevi sobre a Tainá Muller, que é minha amiga. Não sei como, mas o texto, que era um dos melhores, ficou de fora. Preciso resolver essa gafe”.

Em meio a tantas crônicas, um texto chama a atenção. Para a cantora mineira Fernanda Takai, Xico Sá preferiu criar quatro haicais (aquela forma poética japonesa de apenas três linhas).

Observação

Algumas personalidades já haviam aparecido em crônicas publicadas em seu blog, como Claudia Ohana, Luiza Brunet, Sônia Braga e Nicole Puzzi. “Relendo esses textos, tive a ideia de escrever sobre mulheres famosas, fazer um painel da mulher brasileira por meio de figuras bem populares”.

A maior parte das crônicas partem da observação. Como acontece em relação a Vera Fisher, que ganha dois textos na obra. O primeiro trata do dia em que Xico Sá a viu passeando pelo Leblon, no Rio de Janeiro – e ele a enxerga como uma heroína de novela de Manoel Carlos caminhando por seu habitat natural. No outro, o escritor sai em defesa da atriz, dizendo que ela tem todo o direito de beber em um Carnaval – assim como qualquer outro brasileiro. “Mas os melhores textos são aqueles em que conheço melhor”, reconhece o escritor.

Além do segundo volume de “O Livro das Mulheres Extraordinárias”, Xico Sá está preparando um romance, onde vai explorar uma história de amor no universo do futebol. Funcionário da SporTV, onde atua em dois programas, ele pretende deixar a crônica de lado por alguns meses e voltar a publicá-las em 2015. Em tempo: ele está nesta temporada do programa “Amor e Sexo” (Globo).

“Sempre um Papo” – Xico Sá no auditório do Hospital Mater Dei (rua Gonçalves Dias, 2700, Barro Preto), nesta terça, às 19h30, e no auditório da Unifemm (av. Marechal Castelo Branco, 2.765, Santo Antônio), nesta quarta, às 19h30. Gratuito.