Os amantes do futebol têm até sábado para visitar uma exposição que mostra como a ciência influencia de diferentes formas o esporte mais popular do mundo. A mostra “O futebol visto pela Ciência” entrou mês passado na Galeria Georges Vincent, na Aliança Francesa de Belo Horizonte, com painéis, um vídeos e um áudio que abordam de estudos cada vez mais avançados da biomecânica dos jogadores profissionais a técnicas para prevenir o uso de substâncias que otimizem a performance (doping). A entrada é gratuita.

O material é resultado de uma publicação de 2018 de cinco estudantes da Escola de Jornalismo de Lille, na França. “Recebemos esse material todo na língua original, traduzimos em placas, transcrevemos os áudios e legendamos o vídeo para português”, explica Lucas Moraes, gerente cultural da Aliança Francesa. 

As questões são levantadas a partir do futebol francês, o que proporciona ao público brasileiro vislumbrar com frequência uma figura que nos é familiar: Neymar, jogador do Paris Saint-Germain. No vídeo projetado, duas lesões do camisa 10 do PSG são analisadas pelo viés do uso de determinados tipos de chuteira e estatísticas de contusões no esporte de alto rendimento, em que testes são realizados para simular as condições que levam a lesões e é traçado um paralelo entre o futebol e o rúgbi, modalidade popular na França.

A exposição retrata aspectos curiosos para se pensar o futebol pelos olhos da ciência, como as mudanças táticas que as diferenças biológicas trazem ao futebol masculino e feminino. Em outro painel, atletas são contrapostos por sua produção hormonal quando jogam para sua própria torcida e adversários. A galeria expõe ainda um estádio padrão de futebol, como os diversos usos de tecnologia que vão desde o aquecimento do gramado até as câmeras em drones.

ciência dos gramados
TECNOLOGIA – Exposição retrata técnicas de recuperação de lesão em atletas de alto rendimento e inovações nos estudos da biomecânica


Arbitragem

O material foi produzido antes da Copa do Mundo da Rússia de 2018, que viria a ser conquistada justamente pela seleção francesa. Por isso há pouco conteúdo na seção que trata do uso do árbitro assistente de vídeo (VAR, em inglês), que teve o primeiro grande teste naquele Mundial.

O aperfeiçoamento da arbitragem pela tecnologia é contextualizado pela também recente técnica de verificação de que a bola passou da linha do gol. A exposição “O futebol visto pela Ciência” marca a mudança de temas da galeria Georges Vincent, segundo Lucas Moraes. “Nossa galeria costumava receber exposições artísticas que davam um enfoque para a produção feita em Minas. Este ano começamos a implantar uma proposta de exposições científicas”, conta Moraes, que ressalta a parceria com escolas da rede pública para visitação ao espaço.

SERVIÇO
“O Futebol visto pela Ciência”
Até 31/08
Galeria Georges Vincent 
(rua Tomé de Souza, 1.418 – Savassi)