“Este é o oboé. A gente assopra por aqui e o som sai por ali. Escute o pato. Alguém conseguiu imaginar o pato?”. Este é um dos trechos do espetáculo “Pedro e o Lobo” que ganharão nova dimensão neste fim de semana. Pela primeira vez, em 21 anos de apresentação do clássico de Sergei Prokofieff, o Grupo Giramundo poderá encená-lo em conjunto com uma orquestra – no caso, a Filarmônica de Minas Gerais. Serão cinco sessões no Sesc Palladium, entre esta sexta (10) e domingo (12), a preços populares.

Essa união oferece novas dimensões para os espectadores. Além da oportunidade de conferir o encontro de dois corpos artísticos mineiros de renome internacional, e ouvir a obra com uma sonoridade de alto nível, o público infantil poderá ter um ótimo primeiro contato com alguns instrumentos da orquestra.

Somente nessa oportunidade, o prólogo de Prokofieff – em que são explicadas as relações entre cada personagem com um instrumento (as cordas para o Pedro, as trompas para o Lobo, o oboé para o Pato, a flauta para o Passarinho, e por aí vai) – poderá contar com a interpretação de integrantes da Filarmônica. Em outras ocasiões, o Giramundo recorria a desenhos para mostrar os instrumentos para as crianças.

Por sinal, alguns dos 44 músicos do palco vão interagir com o espetáculo cênico durante toda a apresentação. Projeções também vão ajudar a compor o espetáculo.

“Essa talvez seja a obra sinfônica mais tocada no mundo com viés educacional. Muitas crianças são introduzidas ao universo da música erudita por meio de ‘Pedro e o Lobo”, afirma o maestro associado da Filarmônica e regente desse projeto, Marcos Arakaki. “É uma obra muito interessante, pois permite que as crianças possam identificar o som de cada instrumento e levar esse conhecimento para sua vida de forma lúdica”, pontua.

De acordo com Ulisses Tavares, um dos três diretores do Giramundo e um dos marionetistas que estarão no palco neste fim de semana, a orquestra proporciona outra dinâmica para os personagens. A expectativa é de que a interação do público, que já costuma ser emocionante, se intensifique.

“As crianças se divertem muito. É um espetáculo muito interativo, elas adoram avisar quando o lobo está para chegar. Nos apresentar junto com uma orquestra poderosa é algo que vai dar arrepio em todos nós”, diz.