Nos últimos meses, os belo-horizontinos têm penado – afinal de contas, os termômetros chegaram a ultrapassar os 37 graus na capital mineira, e as famosas postagens para reclamar do calor tomaram conta das redes sociais. E olha que o verão nem chegou (a entrada da estação mais quente do ano será no dia 21 de dezembro)! Ao mesmo tempo, as altas temperaturas vêm inspirando muita gente que lança mão da moda e de determinados comportamentos para amenizar a situação.
 
Coques, leques e sombrinhas descoladas são algumas das opções encontradas pela população, que também aproveita iniciativas como a da Praia da Estação – cujas edições mais recentes contaram com enorme adesão de um público que, além da causa política, aproveita para se refrescar nas fontes.
 
“Nesse calor não tem como ficar dentro de casa. Aproveito para tirar o biquíni da gaveta”, comenta a estudante de Letras Thaís Flores. Sombrinhas e boias coloridas também fizeram parte de seu figurino. “Já que é para ir à ‘praia’, vou com tudo a que tenho direito”, brinca.
 
Look moderno
 
A artista paraibana (radicada em BH) Maíra Gouveia também frequenta a Praia da Estação, mas foi além para tentar diminuir o calor – e acabou raspando a cabeça.
 
Com um look moderno, Maíra, 24 anos, garante que a iniciativa valeu a pena. “Lavo o cabelo quantas vezes quiser no dia. E quando está muito quente, é só molhar que refresca”, explica. Ela conta que estava há um ano e oito meses sem cortar os fios, e sempre deixava o cabelo preso.
 
“Nesse calor, não tinha como usar ele solto. Decidi raspar. Além de melhorar a sensação de calor, dá uma sensação de liberdade”, garante ela, que não segue os padrões de beleza impostos pela sociedade. “Me preocupo mais em estar confortável. E acho que cabelo curto combina mais com o meu rosto”, pontua.
 
Maíra se diverte com a reação das pessoas. “Já aconteceu de crianças me perguntarem se eu era homem ou mulher”, ri a jovem, que ministra oficinas de origami para os pequenos. “Quem não me conhece, elogia o corte. Mas pessoas próximas lamentam que eu tenha cortado”, conta.
 
Não faltam criatividade e estilo para enfrentar os dias quentes
 
O que fazer com o cabelo comprido? Penteado prático para quem tem cabelos longos, o coque está em alta este ano. Basta uma volta pelas ruas para ver homens e mulheres com os cabelos no topo da cabeça. Quem não se lembra do estilo Samurai que fez a cabeça de muitos homens?
 
O penteado ainda protagonizou cenas de muito bom humor, em fotos publicadas por Vera Holtz em sua página no Facebook. A atriz brincou com as possíveis utilidades do penteado, entre elas a de guardar o carregador de celular ou segurar uma sacola. “Afinal, para que serve o famigerado coque? Nunca mais perdi o carregador!”, comentou ela em uma das postagens.
 
Bem, se Vera Holtz não sabe, o analista de sistemas Jitzhak Stone, de 21 anos, sabe muito bem a função do coque. Para ele, que há quatro anos mantém o cabelo comprido, o penteado é um grande aliado nos dias mais quentes. “Pensei em fazer um corte diferente, por causa do calor. Cheguei a raspar uma parte do cabelo, mas o coque é a melhor saída”, comenta o moço, que não abre mão do visual despojado.
 
Leques e sombrinhas
 
Para compor o look e amenizar o calor, a cantora lírica Sylvia Klein, de 48 anos, abusa dos chapéus, leques e sombrinhas estilizadas. “Nesse calor, acho o chapéu bem prático porque dá sombra. É importante se proteger do sol”, comenta a artista, que tem muitas opções em casa e brinca com os modelos na hora de se vestir.
 
A sombrinha é outro acessório indispensável para a cantora, que possui vários modelos, como os de renda e a chinesa. “Saio sempre de sombrinha porque não dou conta do calor”, afirma a moça, que é pura elegância. Muitos dos acessórios, como seus leques, ela adquiriu no brechó Brilhantina, na Savassi.
 
A proprietária da loja, Raquel Fernandes, afirma que as vendas de chapéus e leques aumentam nos dias mais quentes. Os modelos com mais saída nessa época são os de palha italiana, aba longa ou os que possuem filtro solar.
 
#bermudasim é um movimento criado por jovens publicários cariocas
 
Já há alguns anos, os homens vêm reivindicando o direito de usar bermudas no ambiente de trabalho, por “culpa” do calor inclemente. Uma das campanhas mais “antigas” é o “Bermuda Sim”
 
No Brasil, foi criado o movimento Bermuda Sim (bermudasim.com.br) – idealizado no Rio de Janeiro por jovens publicitários. O site propõe até iniciativas divertidas, como o envio do e-mail do chefe reticente (em liberar o uso dessa prática peça). Mantendo o anonimato, o grupo enseja dar uma “forcinha”.
 
E sim, muitas empresas têm aderido à onda, inclusive em outros países – no Japão, foi criada até uma bermuda que queima calorias! E mais. Há, ainda, a campanha Cool Biz, criada pelo Ministério Japonês do Meio Ambiente para reduzir o consumo de energia elétrica, limitando o uso de ar condicionado.
 
Tranças e coques são recursos para criar um visual mais leve

 
Outro jeito de enfrentar o calor com estilo é o uso das tranças, que já há alguns anos vem ganhando destaque inclusive nas passarelas internacionais. Tanto neste caso quanto nos coques, o importante e não fazer o penteado com as madeixas molhadas – e, sim, vale a velha dica de desembaraçar bem os cabelos aos desfazê-lo.
 
No caso de Vera Holtz, a atriz – que já há algum tempo assumiu as madeixas brancas – tem se valido de ornamentos dos mais inusitados para criar coques criativos, devidamente clicados – as fotos são postadas em seu Facebook. E ganham dezenas de curtidas.