Uma engenheira de San Francisco, na Califórinia, Estados Unidos, teve sua conta no facebook bloqueada. Ela se chama Isis, que também corresponde à sigla em inglês para Estado Islâmico. Aparentemente, a rede social não deu nenhuma justificativa para a suspensão da página da americana.

Mesmo comprovando sua identidade através de fotos do seu passaporte, o que mostra que seu perfil é real, pessoal e não destinado a propaganda do grupo jihadista, Isis não teve sua conta reativada. A americana desabafou em sua conta no Twitter: “Facebook acha que sou terrorista. Aparentemente, enviar a eles uma cópia do meu passaporte não é bom suficiente para eles reabrirem minha conta.”

Em sua terceira tentativa de desbloqueio da conta, um homem chamado Omid Farivar a contatou e se apresentou como um pesquisador do Facebook. “Isis, desculpa por isso. Eu não sei o que aconteceu. Eu reportei isso às pessoas certas e nós estamos trabalhando para consertar isso”, desculpou-se, no Twitter. Ele ainda afirmou que o problema já estava resolvido. “Atualização: sua conta deve voltar. Desculpas novamente.”

Após ter a conta desbloqueada, Isis Achalee, fez um post em seu Twitter dizendo que não pretendia tornar-se notícia pelo mundo. “Eu não tinha a intenção de me tornar notícia internacional, mas estou feliz por espalhar a consciência sobre outro significado para o nome Isis”, comentou.

Na última semana, o Estado Islâmico assumiu dois grandes ataques terroristas, que deixaram centenas de mortos, a queda do avião da companhia aérea russa Metrojet e dos atentados à cidade de Paris. Com isso, eles ganharam os noticiários e as redes sociais.