O dia 13 de março marca o início de uma grande mudança nos hábitos dos cinéfilos, que tinham na sexta-feira (28)  a certeza de novidades nos cinemas para curtir o final de semana. Agora, as estreias acontecerão um dia antes.

Se os brasileiros “esticarão” os dias dedicados ao lazer é outra história. Os exibidores, maiores incentivadores dessa mudança, acreditam que sim, baseando-se em números positivos de outros países, como Alemanha e Rússia.

Novidades

“O sucesso da experiência nesses locais me faz acreditar que no Brasil também seremos bem-sucedidos”, acredita Paulo Lui, presidente da Federação Nacional das Empresas Exibidoras Cinematográficas (Feneec).

“Muitos exibidores, a partir de seus canais de contato com o público, também vinham recebendo pedidos de uma programação com novidades na quinta, que se tornou o dia com menos público em muitos cinemas”, registra Lui.

Para os analistas, porém, a iniciativa é mais fruto de uma jogada comercial. “Me parece ser uma tentativa de combater a queda na vendas de ingressos aumentando artificialmente o fim de semana”, avalia o crítico de cinema Filipe Furtado.

Bom para alguns

Ele acredita que os maiores beneficiados com essa mudança serão os grandes lançamentos. “Algo que talvez seja útil para blockbusters ou eventos de circuitinho (como o filme “Ninfomaníaca”). Para os demais, terá pouco impacto”, observa.

Já Lui defende que as produções de médio porte, que têm verba reduzida para marketing, contarão com mais um dia de boca a boca para conseguir um bom resultado no primeiro fim de semana, determinante para que continue em cartaz.

Furtado prevê que os independentes continuarão com as mesmas dificuldades de tração no mercado. A diferença, segundo ele, pode estar num vencedor do Festival de Cannes, com chances de ter um fim de semana inicial mais forte.

Exemplo americano

“Os números de quinta devem melhorar, mas nada que melhore o mercado de fato”, lamenta Furtado. Distribuidoras como a brasileira Paris Filmes acreditam que a antecipação será boa principalmente para atrair os fãs ansiosos.

“Percebemos que existe uma demanda para filmes com fãs, como os de Harry Potter”, detecta Marcio Fraccaroli, diretor geral da Paris, responsável pela distribuição de franquias de sucesso como “Crepúsculo” e “Jogos Vorazes”.

O Brasil tem, há cerca 20 anos, a sexta como dia de estreias, seguindo o exemplo dos Estados Unidos. Mas o dia de maior faturamento continua sendo o sábado, quando as sessões à tarde e à noite recebem mais espectadores. (Com agências)

Programe-se

Entre as estreias previstas para 13 de março estão as produções brasileiras “Alemão” (José Eduardo Belmonte, distribuído por Downtown/Paris) e “Éden” (de Bruno Safadi, da ArtHouse). Também serão lançados “About Last Night” (Sony), “Need for Speedy” (Disney), “Prenda-me” (Esfera/Vitrine), “Refém da Paixão” (Paramount) e “Vampire Academy” (Diamond Films).