O escritor francês Michel Tournier, considerado um dos grandes nomes da segunda metade do século 20, autor, entre outros, de romances como "Sexta-feira ou a Vida Selvagem", morreu nesta segunda-feira (18), na França, aos 91 anos.

Traduzido em todo o mundo, Tournier foi apontado várias vezes como candidato ao Nobel, mas nunca recebeu o prêmio. Foi, ao contrário, o único agraciado com o Goncourt por decisão unânime do júri em 1970, pelo romance de sucesso "O Rei dos Álamos".

Desde 1957, Tournier vivia em uma residência paroquial no vale de Chevreuse, nos arredores de Paris, onde morreu nesta segunda-feira à noite. A família informou que o escritor faleceu de morte natural.