O trânsito, o vai e vem dos pedestres e todas as outras características peculiares de uma avenida muito movimentada viraram inspiração para o artista plástico Ataíde Miranda, de 45 anos. Ele trocou o ateliê pela calçada da Afonso Pena, no Centro de BH, onde pinta a tela encomendada especialmente para ser executada neste tipo de espaço.

"Já pintei alguns murais na rua, mas nada deste tipo. O cliente pediu uma obra com energia da rua e estou achando a experiência maravilhosa", conta o artista. O isolamento e o sossego do estúdio deram lugar ao envolvimento e participação de quem passa pelo local.

"Muitos vêem na obra o que você não vê, outros elogiam e dão sugestões. As pessoas querem interagir e não há mais aquela ideia de que arte é algo para elite, pra ser vista apenas em museu", afirma Miranda.

Uma experiência nova para o artista que já tem na bagagem mais de 15 exposições dentro e fora do país. "É uma troca, tanto para mim quanto para quem passa por lá", diz Miranda que tem trabalhado ao lado da entrada do Parque Municipal.

A tela, de quatro metros por dois metros, começou a ser executada na última segunda-feira (18) e deve ser finalizada na próxima semana. O trabalho, paralisado no fim de semana, será retomado na segunda-feira (25).