Desde o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, vários artistas, em grande parte mineiros, transformaram em composições as dores provocadas pela tragédia socioambiental.

Nesta sexta-feira (22), às 15h, mais um desses artistas expõe a emoção causada pelo desastre. André Águia, músico paraense radicado em Montes Claros, lança o videoclipe da composição “Mariana ao Mar”, no canal dele no YouTube e nas redes sociais.

Gravado no distrito de Bento Rodrigues, extinto do mapa pela lama de rejeitos, o trabalho tem a intenção de “não deixar que essa tragédia caia no esquecimento ou fique em segundo plano”, ressalta Águia.
“A ganância humana, para mim, foi o motivo maior desta destruição”, justifica ele, que inseriu algumas “críticas subliminares” no refrão. “São metáforas bem sutis. Não cito o nome das mineradoras diretamente”, explica.

Apesar do tom crítico e questionador – algo recorrente no trabalho do artista – a letra da canção vem acompanhada de uma melodia suave.

História

“Vim para Minas Gerais ainda criança”, rememora o músico, que morou em Porteirinha, no Norte do Estado, e passou por BH nos anos 1990, onde integrou bandas do cenário independente como “O Verso” e

“Ozorríveis”. “Sou mineiro de coração. E não poderia me calar diante dessa tragédia”, pontua.
Águia passou um fim de semana em Mariana para realizar as gravações do clipe. O artista encontrou dificuldades para chegar ao local onde era Bento Rodrigues. “Vários locais estavam interditados. O cenário devastador impactou a todos”, relata.

O músico anseia que a canção chegue aos quatro cantos do Brasil. “Espero tocar as pessoas com essa composição”. Já o clipe, segundo Águia, é uma forma de perpetuar a canção. “Uma forma de fazer com que ela chegue a mais pessoas”, finaliza.

 

                                                       Assista ao clipe: