Após 15 anos morando em São Paulo, a atriz e bailarina Gisele Petty e sua família resolveram se mudar para Belo Horizonte. No “meio do caminho” optaram por um novo destino, ao fixar residência em Brumadinho, durante o início do isolamento social. A cidade onde ela, seu companheiro e a filha estão há quatro meses serviu de cenário para uma apresentação virtual, intitulada “Corpo Natureza” e registrada em um vídeo, a ser hospedado no canal no YouTube do Cultura Ufmg, a partir desta quarta-feira (19), às 19h.

A performance de dança possui 22 minutos de duração e foi gravada pela própria artista, motivada por reflexões existenciais que conectam a tragédia ocorrida em Brumadinho em 2019 (que vitimou mais de 250 pessoas e devastou uma vasta área ambiental) ao período de pandemia em 2020 (em que mais de 100 mil pessoas morreram por conta do coronavírus no Brasil). O vídeo (confira o teaser abaixo) mistura cenas do dia a dia de Gisele e sua filha, coreografias e imagens locais.

“’Corpo Natureza’ trata da relação da natureza como corpo-mãe. Em algumas passagens desta criação pode-se relacionar o feminino e a natureza em sua extrema doação e fertilidade e também exploração, estupro e violência”, afirma a atriz. “Estar em Brumadinho há quatro meses me revela isso, a exuberância de uma natureza explorada. É bastante impressionante a ação das mineradoras na região e o impacto nas vidas de pessoas, animais e ecossistema”, complementa.

Pesquisa

Gisele procurou várias formas de se informar melhor sobre a catástrofe humana e ambiental de 2019, antes da produção do vídeo. “Visitei a região do Córrego do Feijão, conversei com pessoas que estiveram desde sempre envolvidas com ativismo ambiental frente às ações da mineradora Vale e fui fazendo um caminho meu, honesto, de enfrentar e tomar conhecimento desses temas. Como alguém de fora que, diante do impacto de estar exatamente no local do ocorrido, não pode se isentar de tomar conhecimento desses temas”, relata ela.

Pandemia

Isolada em uma casa com a família, Gisele enfatiza ainda uma realidade totalmente antagônica àquela vivida em São Paulo, onde trabalhava com teatro de pesquisa.

“Tudo isso nos faz lembrar que somos também bicho, e que nosso tempo de existir como humanos deve ser em acordo com o tempo da natureza. Essa pandemia revela bastante essa desconexão. Será que também ela é fruto de um desequilíbrio estrutural da humanidade em relação à natureza? Dentre outras reflexões possíveis, a pandemia escancara o que já sabíamos sobre nosso país por exemplo: uma profunda e violenta desigualdade social”, declara.

Gisele Petty

Serviço

Circuito Cultural UFMG #emcasa
“Corpo Natureza”: apresentação virtual de Gisele Petty
Estreia: 19 de agosto, às 19h
www.youtube.com/culturaufmg

* Daniel Verano criou uma música especialmente para o vídeo. O Naaxtro, que criou a música ‘Submarino das Montanhas (de Lama), em 2019, na ocasião do rompimento da barragem em Brumadinho, também faz parte da trilha.