Balé Nacional da Ucrânia faz única apresentação nesta sexta no Palácio das Artes

Cinthya Oliveira - Hoje em Dia
04/09/2015 às 07:35.
Atualizado em 17/11/2021 às 01:38
 (Fotos Kiev Ballet/Divulgação)

(Fotos Kiev Ballet/Divulgação)

Todo apaixonado por balé clássico sabe: não se pode perder uma oportunidade de ver uma grande companhia do Leste Europeu em ação. Ainda mais se a apresentação trouxer artistas que cresceram em meio a uma forte influência russa, como o Kiev Ballet – ou Balé Nacional da Ucrânia –, que sobe ao palco do Grande Teatro do Palácio das Artes esta noite.   No repertório, estão três suítes clássicas de linguagens e propostas distintas. A primeira é “Carmen”, baseada na ópera criada pelo compositor francês Georges Bizet em 1875. Depois, a companhia mostra “Chopiniana”, criada pelo russo Mikhail Fokine em 1909, a partir de obra de Chopin.   O encerramento se dá com “Scheherazade”, mais um trabalho de Fokine para peça de Nicolai Rimsky-Korsakov, baseada na clássica reunião de contos árabes “As Mil e Uma Noites”.   Diversidade   De acordo com o diretor artístico do Kiev Ballet, Viktor Ishchuk, a escolha por três peças bem diferentes foi para que o público brasileiro pudesse conferir a pluralidade de linguagem do repertório do balé ucraniano. “As três suítes que estamos apresentando no Brasil são muito diferentes. ‘Carmen’ é uma história espanhola e é cheia de paixão, drama, romance e tragédia. ‘Chopiniana’ é a mais clássica e técnica dos três. E ‘Scheherazade’ tem música muito poderosa e a história, por si só, é bem dramática”, explica.   Vinte e cinco anos após a independência da Ucrânia, a tradição continua a ser valorizada dentro das companhias do país. “Mantemos as tradições, mas, com a independência, ficamos um pouco mais distantes dos russos. As pessoas e os teatros mudaram muito, mas queremos ficar próximos à tradição, porque isso faz parte da nossa cultura”.   O principal desafio do balé ucraniano, porém, não é estético ou conceitual. A questão é conseguir trabalhar, mesmo com o país ainda dividido entre nacionalistas e separatistas. “Muitos bailarinos tiveram que se deslocar de suas cidades para encontrar emprego e um lugar mais seguro para suas famílias”.   Kiev Ballet – Grande Teatro do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537). Nesta sexta-feira (4), às 21h. Plateia 1: R$ 400 e R$ 200 (meia); Plateia 2: R$ 300 e R$ 150 (meia); Plateia 3: R$ 200 e R$ 100 (meia)   “AS MIL E UMA NOITES” – “Scheherazade” foi criada em 1910 por Fokin a partir de uma suíte sinfônica homônima composta por Nikolai Rimsky-Korsakov em 1888

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por